Home | Livros | Companhia das Letrinhas | QUERIA SER ALTA COMO UM TUIUIÚ
CLIQUE PARA AMPLIAR
Ler um trecho

QUERIA SER ALTA COMO UM TUIUIÚ

Autor/Ilustrador: Florence Breton

R$ 59,90

/ À vista

Apresentação

Uma história sobre os bichos do Pantanal e sobre a vontade de ser alguém diferente, toda ilustrada e com um anexo sobre os pássaros pantaneiros.

Frequentemente comprados juntos

Companhia das Letrinhas

Queria ser alta como um tuiuiú

Florence Breton

R$ 59,90

Companhia das Letrinhas

Mata

Heloisa Prieto

R$ 64,90

Companhia das Letrinhas

O Natal do carteiro

Allan Ahlberg

R$ 67,92

Preço total de

R$ 192,72

Adicionar ao carrinho
Mata

Companhia das Letrinhas

Mata

Heloisa Prieto

R$ 64,90

Indisponível
O Natal do carteiro

Companhia das Letrinhas

O Natal do carteiro

Allan Ahlberg

R$ 67,92

O estranho caso da massinha fedorenta

Companhia das Letrinhas

O estranho caso da massinha fedorenta

Heloisa Prieto

R$ 54,90

Malala, a menina que queria ir para a escola

Companhia das Letrinhas

Malala, a menina que queria ir para a escola

Adriana Carranca

R$ 54,90

Onda (Nova edição)

Companhia das Letrinhas

Onda (Nova edição)

Suzy Lee

R$ 69,90

Histórias à brasileira, vol. 1

Companhia das Letrinhas

Histórias à brasileira, vol. 1

Ana Maria Machado

R$ 63,67

Da pequena toupeira que queria saber quem tinha feito cocô na cabeça dela

Companhia das Letrinhas

Da pequena toupeira que queria saber quem tinha feito cocô na cabeça dela

Werner Holzwarth

R$ 59,90

Qual é o seu norte?

Companhia das Letrinhas

Qual é o seu norte?

Silvana Salerno

R$ 64,90

Ficha Técnica

Título original: Queria ser alta como um tuiuiú Páginas: 40 Formato: 20.40 X 27.20 cm Peso: 0.16 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 03/12/2009
ISBN: 978-85-7406-383-6 Selo: Companhia das Letrinhas Ilustração: Florence Breton

SOBRE O LIVRO

Uma história sobre os bichos do Pantanal e sobre a vontade de ser alguém diferente, toda ilustrada e com um anexo sobre os pássaros pantaneiros.

Bichos sensíveis, as capivaras ficam sentidas quando percebem que as pessoas não veem graça nenhuma nelas. A capivara poeta acha que "Aguentar o peso desta cabeça é tão irritante!/ E o pior é que tenho que sentar neste bumbum gigante!". Ela então resolve sonhar em ser pássaro, e se equilibra em pernas de pau para ser alta como um tuiuiú. Chega a capivara acrobata e, interessada, pede para entrar na brincadeira. Quando as duas estão se divertindo, pintadas de rosa e com um galho no nariz, como se fossem colhereiros, chega a capivara pintora. E... resolve participar também.
E assim, sucessivamente, chegam novas capivaras - capivara comilona, capivara nadadora, capivara médica - e todas juntas se fantasiam de diferentes pássaros pantaneiros. Mas quando os urubus, deselegantes, voam em suas cabeças fazendo troça delas; e depois um martim-pescador assassina um peixinho; e ainda um casal de tucanos ataca um ninho para pegar filhotes, uma a uma elas vão se dando conta de que ser capivara é, afinal, o melhor de tudo.
Com ilustrações primorosas e cheias de cor, Florence ensina sobre os bichos do pantanal e, sobretudo, que "Brincar de faz de conta é legal, mas ser capivara [ou você mesmo] é melhor ainda". Ao final da história, um glossário aprofunda as explicações sobre a fauna pantaneira.

Sobre o autor