Home | Livros | Penguin-Companhia | PANFLETOS ABOLICIONISTAS
CLIQUE PARA AMPLIAR

R$ 69,90

/ À vista

Apresentação

A campanha pela abolição foi mais longa e arriscada do que em geral se imagina, envolvendo muita ação e política, mas nunca prescindiu da propaganda escrita. Os textos aqui reunidos resgatam essa imensa mobilização, tão distante da idílica imagem da canetada da "princesa redentora".

Frequentemente comprados juntos

Penguin-Companhia

Panfletos abolicionistas

Joaquim Nabuco, André Rebouças e José do Patrocínio

R$ 69,90

Companhia das Letras

Domingos Sodré, um sacerdote africano (Edição revista e ampliada)

João José Reis

R$ 124,90

Companhia das Letras

A história dos judeus, vol. 1

Simon Schama

R$ 99,90

Preço total de

R$ 294,70

Adicionar ao carrinho

Você pode gostar também de

Companhia das Letras

O país dos privilégios - Volume 1

Bruno Carazza

R$ 94,90

Companhia das Letras

O ouvidor do Brasil

Ruy Castro

R$ 69,90

Penguin-Companhia

Zona e outros poemas

Guillaume Apollinaire

R$ 109,90

Companhia das Letras

A história dos judeus, vol. 2

Simon Schama

R$ 189,90

Alfaguara

Um romance russo (Nova edição)

Emmanuel Carrère

R$ 89,90

Companhia das Letras

Bíblia -- Volume IV

R$ 199,90

Companhia das Letras

O gosto da guerra (Edição revista e ampliada)

José Hamilton Ribeiro

R$ 99,90

Zahar

Alguma vez é só sexo?

Darian Leader

R$ 99,90

Zahar

A dívida impagável

Denise Ferreira da Silva

R$ 119,90

Zahar

Iguais e diferentes

Regina Madalozzo

R$ 89,90

Ficha Técnica

Páginas: 328 Formato: 13.00 X 20.00 cm Peso: 0.312 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 11/06/2024
ISBN: 978-85-8285-197-5 Selo: Penguin-Companhia Ilustração:

SOBRE O LIVRO

A campanha pela abolição foi mais longa e arriscada do que em geral se imagina, envolvendo muita ação e política, mas nunca prescindiu da propaganda escrita. Os textos aqui reunidos resgatam essa imensa mobilização, tão distante da idílica imagem da canetada da "princesa redentora".

De 1868 a 1888, centenas de homens e mulheres se engajaram em ações antiescravistas, criando associações civis, fazendo viagens de propaganda, promovendo eventos artísticos, lançando candidaturas eleitorais e pensando rotas de fugas para os cativos. Também escreveram um sem-número de poemas, romances, peças, artigos... e panfletos -- dois dos quais coligidos neste volume.
Produzidos no calor do momento e publicados em 1883, ano de grande aceleração da mobilização abolicionista, esses textos defendem o fim do trabalho escravo. O primeiro, de Joaquim Nabuco, ganhou muitas edições subsequentes, tornando-se um clássico. Ficou conhecido por "O abolicionismo", ainda que originalmente tenha sido publicado como "Reformas nacionais: o abolicionismo", título recuperado aqui.
O segundo é assinado por André Rebouças e José do Patrocínio, outras duas figuras resplandecentes da campanha abolicionista. O "Manifesto da Confederação Abolicionista", nunca republicado, apresenta as questões debatidas por quinze associações abolicionistas do Rio de Janeiro, reunidas em assembleia em maio de 1883.
Obras abertas a interpretações, estes Panfletos abolicionistas são documentos de uma época, mas ainda falam de um Brasil que, em muitos pontos, permanece o mesmo.

Sobre o autor