Home | Livros | Companhia das Letras | O CRIPTÓGRAFO
CLIQUE PARA AMPLIAR

O CRIPTÓGRAFO

Mai Jia
Tradução: Amilton Reis e Sun Lidong

R$ 99,90

/ À vista

Apresentação

Um dos livros mais vendidos na China, O criptógrafo revela o mundo misterioso da Unidade 701, uma agência de inteligência chinesa cujo único objetivo é contraespionagem e quebra de códigos.

Frequentemente comprados juntos

Companhia das Letras

O criptógrafo

Mai Jia

R$ 99,90

Companhia das Letras

Pança de burro

Andrea Abreu

R$ 63,67

Penguin-Companhia

A vida e as opiniões do cavalheiro Tristram Shandy (Nova edição)

Laurence Sterne

R$ 99,90

Preço total de

R$ 263,47

Adicionar ao carrinho

Você pode gostar também de

Ficha Técnica

Título original: Jiemì Páginas: 336 Formato: 14.00 X 21.00 cm Peso: 0.411 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 04/05/2022
ISBN: 978-65-5921-214-9 Selo: Companhia das Letras Capa: Bloco Gráfico Ilustração:

SOBRE O LIVRO

Um dos livros mais vendidos na China, O criptógrafo revela o mundo misterioso da Unidade 701, uma agência de inteligência chinesa cujo único objetivo é contraespionagem e quebra de códigos.

Ao receber a tarefa de quebrar o indecifrável código PURPLE, o gênio da matemática Rong Jinzhen se vê obrigado a abandonar a bem-sucedida carreira acadêmica para servir à inteligência chinesa. Jinzhen sobe na hierarquia para eventualmente se tornar o maior e mais celebrado criptógrafo da China – até que comete um erro. Tem início, então, sua derrocada por uma espiral de mistério e loucura.
Com um ritmo de tirar o fôlego, a obra-prima de Mai Jia combina elementos de ficção histórica e espionagem para nos apresentar um lugar desconhecido, intrigante e autêntico. O criptógrafo é uma narrativa inesquecível e emocionante sobre brilhantismo, insanidade e fragilidade humana.


"Uma mistura de suspense de espionagem, saga histórica e quebra-cabeças matemáticos que, de alguma forma, se unem em uma narrativa poderosa. Totalmente original." – Financial Times


"O criptógrafo se destaca entre os romances chineses por seu ritmo, vivacidade e pelo frescor da história." – The Economist

Sobre o autor