CLIQUE PARA AMPLIAR

R$ 129,90

/ À vista
ou em até 2x no crédito de R$ 64,95

Apresentação

Poeta fundamental do cânone europeu, Charles Baudelaire também foi um prolífico autor de textos em prosa, como se observa nesta seleção de Júlio Castañon Guimarães. A tradução, também assinada por Guimarães, revela um trabalho cuidadoso e atento às nuances do texto original, capturando o estilo melancólico de Baudelaire.

Frequentemente comprados juntos

Penguin-Companhia

Prosa

Charles Baudelaire

R$ 129,90

Penguin-Companhia

A vida e as opiniões do cavalheiro Tristram Shandy (Nova edição)

Laurence Sterne

R$ 99,90

Companhia das Letras

Evangelhos apócrifos

Vários autores

R$ 154,90

Preço total de

R$ 384,70

Adicionar ao carrinho

Você pode gostar também de

Penguin-Companhia

Um, nenhum e cem mil

Luigi Pirandello

R$ 54,90

Penguin-Companhia

Canto para Govinda

Jayadeva

R$ 44,90

Companhia das Letras

Todos os nossos ontens

Natalia Ginzburg

R$ 89,90

Zahar

Longe, muito longe

Walter Fraga

R$ 99,90

Penguin-Companhia

Metamorfoses

Ovídio

R$ 79,90

Suma

Canções de um sonhador morto & Escriba-sinistro

Thomas Ligotti

R$ 109,90

Companhia das Letras

A canção da célula

Siddhartha Mukherjee

R$ 104,90

Companhia das Letras

Evangelhos apócrifos

Vários autores

R$ 154,90

Ficha Técnica

Páginas: 1008 Formato: 13.00 X 20.00 cm Peso: 0.933 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 28/08/2023
ISBN: 978-85-8285-170-8 Selo: Penguin-Companhia Capa: Mariana Metidieri Ilustração:

SOBRE O LIVRO

Poeta fundamental do cânone europeu, Charles Baudelaire também foi um prolífico autor de textos em prosa, como se observa nesta seleção de Júlio Castañon Guimarães. A tradução, também assinada por Guimarães, revela um trabalho cuidadoso e atento às nuances do texto original, capturando o estilo melancólico de Baudelaire.

Este volume expõe a diversidade de interesses do autor francês, explorando sua faceta de crítico literário e de arte, além de sua vida íntima, com entradas fragmentárias de diário e a obra Paraísos artificiais, onde narra experiências com haxixe.
Central ao livro é Spleen de Paris, que inspirou pensadores como Walter Benjamin pelo seu retrato da vida urbana e da chegada violenta da modernidade. Trata-se de poemas em prosa que podem ser lidos como contos ou pequenos instantâneos assombrados pela figura do flâneur -- o caminhante das grandes cidades.

Sobre o autor