Home | Livros | Zahar | A SOCIEDADE DESIGUAL
CLIQUE PARA AMPLIAR

A SOCIEDADE DESIGUAL

Racismo e branquitude na formação do Brasil

Mario Theodoro

R$ 79,90

/ À vista

Apresentação

O estudo mais abrangente sobre o papel determinante do racismo na desigualdade brasileira, por um dos mais importantes economistas negros em atividade.

Frequentemente comprados juntos

Zahar

A sociedade desigual

Mario Theodoro

R$ 79,90

Companhia das Letras

O pacto da branquitude

Cida Bento

R$ 39,90

Zahar

Em busca da África

Manthia Diawara

R$ 89,90

Preço total de

R$ 209,70

Adicionar ao carrinho

Você pode gostar também de

Companhia das Letras

O pacto da branquitude

Cida Bento

R$ 39,90

Zahar

Evidências

Howard S. Becker

R$ 109,90

Zahar

O terceiro excluído

Fernando Haddad

R$ 64,90

Zahar

Em busca da África

Manthia Diawara

R$ 89,90

Zahar

Por um feminismo afro-latino-americano

Lélia Gonzalez

R$ 50,32

Companhia das Letras

Sob o signo de Saturno

Susan Sontag

R$ 74,90

Zahar

Tornar-se negro

Neusa Santos Souza

R$ 47,90

Zahar

O eu soberano

Elisabeth Roudinesco

R$ 89,90

Ficha Técnica

Páginas: 448 Formato: 14.00 X 21.00 cm Peso: 0.543 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 04/04/2022
ISBN: 978-65-5979-052-4 Selo: Zahar Capa: Alceu Chiesorin Nunes Ilustração:

SOBRE O LIVRO

O estudo mais abrangente sobre o papel determinante do racismo na desigualdade brasileira, por um dos mais importantes economistas negros em atividade.

"Violenta, autoritária, elitista e medíocre. Essa é a sociedade desigual."

Com inovadora abordagem, o economista e professor Mário Theodoro demonstra a centralidade da questão racial na construção e desenvolvimento da sociedade brasileira, explicando de que modo o racismo funcionou e segue funcionando como motor e elemento organizador da desigualdade no Brasil.

Em suas diversas formas e manifestações, a violência opera como avalista da manutenção das desigualdades, na relação complementar entre a ação da polícia e da Justiça, nas condições de moradia, transporte público, sistemas de saúde e de educação e na precarização do trabalho. Em cada uma delas, o elemento racial é o fator explicativo, e esse conjunto de violências sustenta e preserva a sociedade desigual, impedindo mudanças estruturais significativas.

Mário Theodoro aponta também a incapacidade dos estudiosos e das principais teorias econômicas de produzir até hoje um modelo de estudo que leve em conta – em um país de maioria negra – a preponderância do racismo na desigualdade da sociedade brasileira, e, como escreve o autor, "o racismo mata, prende, exclui, limita, enlouquece". Para ele, a grande força de transformação virá justamente do segmento mais afetado pela desigualdade: a população negra.

Sobre o autor