Home | Livros | Companhia das Letras | O SOM E A FÚRIA
CLIQUE PARA AMPLIAR
Ler um trecho

O SOM E A FÚRIA

William Faulkner

R$ 74,90

/ À vista

Apresentação

Uma das mais contundentes peças de ficção produzidas no século XX, o principal romance de William Faulkner ganha nova edição.

Frequentemente comprados juntos

Companhia das Letras

O som e a fúria

William Faulkner

R$ 74,90

Companhia das Letras

Os Buddenbrook

Thomas Mann

R$ 99,90

Companhia das Letras

Grande sertão: veredas

João Guimarães Rosa

R$ 99,90

Preço total de

R$ 274,70

Adicionar ao carrinho

Você pode gostar também de

Seguinte

A traidora do trono

Alwyn Hamilton

R$ 54,90

Companhia de Bolso

O queijo e os vermes

Carlo Ginzburg

R$ 44,90

Companhia das Letras

Meio sol amarelo (Nova capa)

Chimamanda Ngozi Adichie

R$ 82,90

Zahar

A autobiografia de Martin Luther King

Clayborne Carson Martin Luther King

R$ 87,90

Companhia das Letras

A insustentável leveza do ser

Milan Kundera

R$ 77,90

Suma

A sombra do vento

Carlos Ruiz Zafón

R$ 62,90

Companhia das Letras

No seu pescoço

Chimamanda Ngozi Adichie

R$ 59,90

Indisponível

Companhia das Letras

Todo amor

Vinicius de Moraes

R$ 77,90

Indisponível

Ficha Técnica

Título original: The sound and the fury Páginas: 376 Formato: 14.00 X 21.00 cm Peso: 0.458 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 15/09/2017
ISBN: 978-85-3592-942-3 Selo: Companhia das Letras Ilustração:

SOBRE O LIVRO

Uma das mais contundentes peças de ficção produzidas no século XX, o principal romance de William Faulkner ganha nova edição.

O som e a fúria, de 1929, é considerada a obra mais importante do escritor norte-americano ganhador do prêmio Nobel de Literatura em 1949. O romance surgiu em um período de isolamento, depois que o autor teve seu terceiro romance recusado por diversas editoras. Abalado, William Faulkner investiu num estilo ousado, tecido por quatro vozes narrativas distintas e saltos inesperados no tempo. É dessa forma, permeada por tons bíblicos e ecos de tragédias gregas, que o escritor retrata a violenta decadência dos Compson, família aristocrática do sul dos Estados Unidos, que parece viver num desnorteante presente em estado bruto. Com tradução de Paulo Henriques Britto e uma análise crítica de Jean-Paul Sartre publicada em 1939, o clássico de Faulkner ganha nova e definitiva edição.

Sobre o autor