Home | Livros | Quadrinhos na Cia | BORDADOS
CLIQUE PARA AMPLIAR
Ler um trecho

BORDADOS

Marjane Satrapi
Tradução: Paulo Werneck

R$ 62,90

/ À vista

Apresentação

Um retrato íntimo das mulheres iranianas, repleto de revelações sobre sexo, casamento e vida em família sob um regime opressor. Da autora de Persépolis.

Frequentemente comprados juntos

Quadrinhos na Cia

Bordados

Marjane Satrapi

R$ 62,90

Quadrinhos na Cia

Frango com ameixas

Marjane Satrapi

R$ 57,90

Quadrinhos na Cia

A origem do mundo

Liv Strömquist

R$ 66,32

Preço total de

R$ 187,12

Adicionar ao carrinho

Você pode gostar também de

Quadrinhos na Cia

Frango com ameixas

Marjane Satrapi

R$ 57,90

Quadrinhos na Cia

Persépolis (completo)

Marjane Satrapi

R$ 74,90

Quadrinhos na Cia

Cachalote

Daniel Galera Rafael Coutinho

R$ 72,90

Indisponível

Quadrinhos na Cia

A origem do mundo

Liv Strömquist

R$ 66,32

Companhia das Letras

O país do carnaval

Jorge Amado

R$ 44,03

Companhia das Letras

Crônica de uma namorada

Zélia Gattai

R$ 62,90

Quadrinhos na Cia

Notas sobre Gaza

Joe Sacco

R$ 114,90

Seguinte

Um barril de risadas, um vale de lágrimas

Jules Feiffer

R$ 54,90

Ficha Técnica

Título original: Broderies Páginas: 136 Formato: 14.00 X 19.00 cm Peso: 0.185 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 31/03/2010
ISBN: 978-85-3591-621-8 Selo: Quadrinhos na Cia Ilustração:

SOBRE O LIVRO

Um retrato íntimo das mulheres iranianas, repleto de revelações sobre sexo, casamento e vida em família sob um regime opressor. Da autora de Persépolis.

Os almoços de família na casa da avó de Marjane Satrapi, em Teerã, terminavam sempre com o mesmo ritual: enquanto os homens iam fazer a sesta, as mulheres lavavam a louça. Logo depois começava uma sessão cujo acesso só era permitido a elas - o "bordado", tema deste que é o terceiro livro de Satrapi publicado pela Companhia das Letras. Os leitores de Persépolis reconhecerão aqui as marcas registradas da autora: o humor cortante, o traço simples em preto e branco, o feminismo mordaz, jamais patrulheiro.
O "bordado" iraniano seria equivalente ao brasileiríssimo "tricô", não fosse uma acepção bastante particular: a expressão designa também a cirurgia de reconstituição do hímen, uma decisão pragmática para as mulheres que não abrem mão de ter vida sexual antes do casamento mas sabem que precisam corresponder às expectativas das forças moralistas do país.
O grupo que se reúne na casa da avó de Marjane, a mesma que conhecemos em Persépolis, é uma amostra de mulheres com moral e experiência bastante variadas, mas sempre às voltas com o machismo e a tradição, sobretudo depois da Revolução Islâmica (1979). Casamentos malfadados, virgindades roubadas, adultérios, frustrações, golpes e autoenganos, narrados com a ironia tão peculiar à autora, mostram que no Irã amar e desamar pode ser ainda mais complicado do que podemos supor.

Sobre o autor