Home | Livros | Companhia das Letras | O ROMANCISTA INGÊNUO E O SENTIMENTAL
CLIQUE PARA AMPLIAR
Ler um trecho

O ROMANCISTA INGÊNUO E O SENTIMENTAL

Orhan Pamuk
Tradução: Hildegard Feist

Apresentação

Em ciclo de seis conferências ministradas na Universidade Harvard, Orhan Pamuk fala sobre seu gênero literário de predileção, o romance, e sobre a experiência de ser escritor autodidata em um país periférico.

Você pode gostar também de

Companhia das Letras

A casa do silêncio

Orhan Pamuk

R$ 72,90

Companhia das Letras

Uma sensação estranha

Orhan Pamuk

R$ 94,90

Companhia das Letras

O museu da inocência

Orhan Pamuk

R$ 87,90

Indisponível

Companhia das Letras

A maleta do meu pai

Orhan Pamuk

R$ 39,90

Indisponível

Companhia de Bolso

Meu nome é vermelho

Orhan Pamuk

R$ 54,90

Companhia das Letras

O Castelo Branco

Orhan Pamuk

R$ 62,90

Companhia das Letras

Istambul

Orhan Pamuk

R$ 87,90

Indisponível

Companhia das Letras

Neve

Orhan Pamuk

R$ 94,90

Indisponível

Companhia das Letras

A ausência que seremos

Héctor Abad

R$ 72,90

Ficha Técnica

Título original: The naive and the sentimental novelist Páginas: 152 Formato: 14.00 X 21.00 cm Peso: 0.204 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 28/11/2011
ISBN: 978-85-3591-984-4 Selo: Companhia das Letras Ilustração:

SOBRE O LIVRO

Em ciclo de seis conferências ministradas na Universidade Harvard, Orhan Pamuk fala sobre seu gênero literário de predileção, o romance, e sobre a experiência de ser escritor autodidata em um país periférico.

Em 1927, o romancista E. M. Forster proferiu em Cambridge as conferências hoje conhecidas como Aspectos do romance, uma resistente obra de referência dos estudos literários. Fazendo a devida justiça a esse pequeno livro, o turco Orhan Pamuk deu, em 2009, seu testemunho pessoal sobre a arte do romance na prestigiosa posição de palestrante das conferências Charles Eliot Norton, em Harvard.
Com o mote do famoso ensaio de Friedrich Schiller, "Sobre a poesia ingênua e sentimental" (1795-6), este livro reúne as seis aulas de Pamuk, e pode muito bem ser lido como uma atualização das lições de Forster. Entre tantos antecessores ilustres, cabe lembrar que, em 1985, a morte impediu Italo Calvino de falar em Harvard. Das Seis propostas para o próximo milênio, a última ficou em esboço.
A exemplo de Calvino, Pamuk desenha um percurso pela cultura do Ocidente, com a diferença de que explicita que o seu lugar é o de um intelectual em país pobre não ocidental. Se, para a audiência de Forster, o romance era ocidental e sobretudo europeu, o gênero chegou plenamente globalizado ao século XXI, e um dos principais tópicos de Pamuk é a apropriação do cânone pelos países periféricos e os papéis que a escrita e a leitura de ficção vêm desempenhando fora dos grandes centros culturais.

Sobre o autor

Material para o professor