Home | Livros | Companhia das Letras | SEMÍRAMIS
CLIQUE PARA AMPLIAR
Ler um trecho

SEMÍRAMIS

Ana Miranda

R$ 57,90

/ À vista

Apresentação

Neste romance histórico, marcado pela prosa poética que a consagrou, Ana Miranda refaz a trajetória do escritor José de Alencar.

Frequentemente comprados juntos

Companhia das Letras

Semíramis

Ana Miranda

R$ 57,90

Companhia das Letras

Ponto de fuga

Ana Maria Machado

R$ 67,90

Companhia das Letras

Os detetives selvagens

Roberto Bolaño

R$ 87,90

Preço total de

R$ 213,70

Adicionar ao carrinho

Você pode gostar também de

Companhia das Letras

Dias e dias

Ana Miranda

R$ 62,90

Indisponível

Companhia das Letras

Boca do inferno (Nova edição)

Ana Miranda

R$ 72,90

Companhia das Letras

Desmundo

Ana Miranda

R$ 59,90

Indisponível

Companhia das Letras

A última quimera

Ana Miranda

R$ 54,90

Companhia das Letras

O retrato do rei

Ana Miranda

R$ 72,90

Indisponível

Companhia das Letras

Clarice

Ana Miranda

R$ 47,90

Indisponível

Companhia das Letras

Sem pecado

Ana Miranda

R$ 46,00

Indisponível

Companhia das Letras

O drible

Sérgio Rodrigues

R$ 59,90

Indisponível

Companhia das Letras

Noturnos

Ana Miranda

R$ 37,90

Indisponível

Ficha Técnica

Título original: Semíramis Páginas: 272 Formato: 14.00 X 21.00 cm Peso: 0.34 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 18/02/2014
ISBN: 978-85-3592-390-2 Selo: Companhia das Letras Ilustração:

SOBRE O LIVRO

Neste romance histórico, marcado pela prosa poética que a consagrou, Ana Miranda refaz a trajetória do escritor José de Alencar.

Com rara habilidade de trazer até o presente o sentimento vivo do passado, Ana Miranda já recriou algumas passagens decisivas da literatura brasileira. No premiado Boca do Inferno, dedicou-se às aventuras do inquieto Gregório de Matos na Bahia do século XVII. No igualmente elogiado A última quimera, debruçou-se sobre a vida e a obra de Augusto dos Anjos (1884-1914). Em Semíramis, é a vez de José de Alencar (1829-1877), ícone do Romantismo brasileiro e protótipo do "homem de letras" do século XIX.
Ana Miranda fez-se íntima da obra e do tempo de Alencar. Sua prosa é marcada por uma levíssima tensão poética, na frase essencial, cortante e delicada, como se cada gesto e palavra estivesse prestes a se evaporar ou dissolver.
Lastreada por ampla pesquisa histórica, a autora não só dá corpo poético às inquietações metafísicas que consumiam o escritor como traça um quadro impecável dos costumes e principais acontecimentos da época: passam por essas páginas as figuras de Gonçalves Dias, Castro Alves e Machado de Assis, a partir das vidas de Iriana e Semíramis, tocadas, cada qual a seu modo, pela figura central de Alencar.
Semíramis possui um vigor poético total, com uma fluência irresistível desde a primeira frase. São páginas que bebem a energia da paisagem física ou psíquica do autor de Iracema, relembradas dentro de uma nova ordem narrativa, na língua original e nas pupilas de Ana Miranda.

Sobre o autor