Home | Livros | Companhia das Letras | TALVEZ ESTHER
CLIQUE PARA AMPLIAR
Ler um trecho

TALVEZ ESTHER

Katja Petrowskaja
Tradução: Sergio Tellaroli

R$ 77,90

/ À vista

Apresentação

Neste romance celebrado pela crítica, a ucraniana de língua alemã Katja Petrowskaja reconstitui a fragmentada trajetória de sua família a partir de uma perspectiva inusitada.

Frequentemente comprados juntos

Companhia das Letras

Talvez Esther

Katja Petrowskaja

R$ 77,90

Alfaguara

Vida e destino

Vassili Grossman

R$ 114,90

Companhia das Letras

Os vestígios do dia

Kazuo Ishiguro

R$ 67,90

Preço total de

R$ 260,70

Adicionar ao carrinho

Você pode gostar também de

Companhia das Letras

O jogo da amarelinha

Julio Cortázar

R$ 99,92

Alfaguara

Arquivo das crianças perdidas

Valeria Luiselli

R$ 87,90

Objetiva

O chamado da tribo

Mario Vargas Llosa

R$ 67,90

Alfaguara

Redemoinho em dia quente

Jarid Arraes

R$ 57,90

Indisponível

Companhia das Letras

Máquinas como eu

Ian McEwan

R$ 67,90

Companhia das Letras

A visita de João Gilberto aos Novos Baianos

Sérgio Rodrigues

R$ 54,90

Companhia das Letras

Sobre o autoritarismo brasileiro

Lilia Moritz Schwarcz

R$ 64,90

Companhia das Letras

O oráculo da noite

Sidarta Ribeiro

R$ 89,90

Alfaguara

Serotonina

Michel Houellebecq

R$ 69,90

Indisponível

Ficha Técnica

Título original: Vielleicht esther Páginas: 256 Formato: 14.00 X 21.00 cm Peso: 0.32 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 13/06/2019
ISBN: 978-85-3593-056-6 Selo: Companhia das Letras Ilustração:

SOBRE O LIVRO

Neste romance celebrado pela crítica, a ucraniana de língua alemã Katja Petrowskaja reconstitui a fragmentada trajetória de sua família a partir de uma perspectiva inusitada.

Numa esquina da Kiev dçe setembro de 1941, a babuchka, que talvez se chamasse Esther, pergunta em iídiche a soldados alemães o caminho para Babi Yar, onde, dois dias depois, mais de 33 mil judeus seriam mortos. Essa história, porém, começa muito antes e é narrada de um ponto de vista singular: o de uma ex-cidadã soviética nascida na Ucrânia no início da década de 1970 que escolhe Berlim como refúgio e ponto de partida, e adota o alemão, aprendido aos 26 anos, como instrumento de resgate de uma fragmentada história familiar. É dessa Berlim, hoje pacífica, que parte a jornada da narradora em busca da própria história, entrecruzada a todo instante por eventos cruciais do século XX.

"Uma obra de arte que pouco se encontra na literatura de língua alemã: uma história familiar não sufocada pela convenção literária nem pelo peso da matéria narrada." – Sebastian Hammelehle, Spiegel Online



"Raras vezes uma história familiar – e há uma profusão delas – foi apresentada de forma tão apaixonante e comovente." – Volker Hage, Der Spiegel

Sobre o autor