Home | Livros | Companhia das Letras | O CENTAURO NO JARDIM (NOVA EDIÇÃO)
CLIQUE PARA AMPLIAR

O CENTAURO NO JARDIM (NOVA EDIÇÃO)

Moacyr Scliar

Apresentação

Partindo do nascimento de um ser metade homem, metade cavalo, este romance evidencia a dualidade da vida em sociedade, em que é preciso harmonizar individualismo e coletividade. Livro ganhador do prêmio APCA de 1980 e eleito em 2002 pelo National Yiddish Book Center um dos cem melhores livros de temática judaica escritos nos últimos duzentos anos.

Você pode gostar também de

Companhia das Letras

Grafias de vida -- a morte

Silviano Santiago

R$ 119,90

Companhia das Letras

O gaucho insofrível

Roberto Bolaño

R$ 69,90

Companhia das Letras

Triângulo das águas

Caio Fernando Abreu

R$ 67,92

Alfaguara

Cidades da planície (Nova edição)

Cormac McCarthy

R$ 79,90

Companhia das Letras

Manual prático do ódio

Ferréz

R$ 58,41

Ficha Técnica

Páginas: 240 Formato: 14.00 X 21.00 cm Peso: 0.294 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 08/01/2024
ISBN: 978-85-3593-649-0 Selo: Companhia das Letras Capa: Kiko Farkas e Máquina estúdio Ilustração:

SOBRE O LIVRO

Partindo do nascimento de um ser metade homem, metade cavalo, este romance evidencia a dualidade da vida em sociedade, em que é preciso harmonizar individualismo e coletividade. Livro ganhador do prêmio APCA de 1980 e eleito em 2002 pelo National Yiddish Book Center um dos cem melhores livros de temática judaica escritos nos últimos duzentos anos.

No interior do Rio Grande do Sul, na pacata família Tartakovsky, nasce um centauro: um ser metade homem, metade cavalo. Quarto filho de um casal de imigrantes judeus russos, Guedali cresce excluído da sociedade. Numa narrativa provocadora, ele rememora sua vida desde o nascimento em Quatro Irmãos, passando pela juventude em Porto Alegre, sua fuga de casa, uma temporada em que foi atração de circo, a descoberta do amor até chegar ao Marrocos, onde realiza uma cirurgia para curar a si e sua companheira de seus problemas de nascença.
O romance acompanha a trajetória do personagem na tentativa de se adequar ao seu país de origem enquanto filho de judeus fugidos dos pogroms da Rússia e, ao mesmo tempo, à condição de "estrangeiro", como centauro -- ser mitológico que ocupa um lugar tão nebuloso na literatura. Com sua particular capacidade de mesclar romance histórico e literatura fantástica, parábola bíblica e narrativas de tradições orais, sátira, humor e melancolia, Moacyr Scliar faz uma metáfora sobre a identidade individual e coletiva no judaísmo, a inadequação e o ser estrangeiro, mas também coloca em evidência o conflito de uma classe média brasileira confusa e angustiada com o destino do país ainda sob regime militar. História, ficção e mitos formadores da cultura judaico-cristã se fundem de forma conflitante e crítica em Centauro no jardim.

Sobre o autor