Home | Livros | Companhia das Letras | OS NÁUFRAGOS DO WAGER
CLIQUE PARA AMPLIAR

OS NÁUFRAGOS DO WAGER

Uma história de motim e assassinato

David Grann
Tradução: Pedro Maia Soares

R$ 89,90

/ À vista

Apresentação

Fenômeno de público e crítica, Os náufragos do Wager reconstitui a história real de um naufrágio no século XVIII -- e da história impressionante de seus sobreviventes.

Frequentemente comprados juntos

Companhia das Letras

Os náufragos do Wager

David Grann

R$ 89,90

Companhia das Letras

Trilogia - Autor vencedor do Nobel de literatura 2023

Jon Fosse

R$ 69,90

Companhia de Bolso

A cultura do Renascimento na Itália

Jacob Burckhardt

R$ 64,90

Preço total de

R$ 224,70

Adicionar ao carrinho

Você pode gostar também de

Companhia das Letras

Trilogia - Autor vencedor do Nobel de literatura 2023

Jon Fosse

R$ 69,90

Companhia das Letras

O século das luzes (Nova edição)

Alejo Carpentier

R$ 89,90

Companhia das Letras

Passeio com o gigante

Michel Laub

R$ 69,90

Companhia das Letras

Palmeiras selvagens

William Faulkner

R$ 119,90

Companhia das Letras

Lia

Caetano W. Galindo

R$ 69,90

Indisponível

Companhia das Letras

Sobre literatura e história

Júlio Pimentel Pinto

R$ 99,90

Suma

Dolores Claiborne

Stephen King

R$ 89,90

Zahar

As abandonadoras

Begoña Gómez Urzaiz

R$ 79,90

Ficha Técnica

Título original: The Wager Páginas: 408 Formato: 14.00 X 21.00 cm Peso: 0.479 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 26/03/2024
ISBN: 978-85-3593-652-0 Selo: Companhia das Letras Ilustração:

SOBRE O LIVRO

Fenômeno de público e crítica, Os náufragos do Wager reconstitui a história real de um naufrágio no século XVIII -- e da história impressionante de seus sobreviventes.

Em 28 de janeiro de 1742, uma embarcação apareceu na costa do Brasil, tripulada por trinta homens famélicos, à beira da morte, com uma história assombrosa para contar. Eram sobreviventes do Wager, um navio britânico que naufragara em uma ilha deserta na costa da Patagônia. Abandonados durante meses e sob circunstâncias adversas, eles construíram o próprio navio e viajaram por mais de cem dias, sendo recebidos como heróis. Mas seis meses depois uma outra nave chegou à costa chilena, desta vez com apenas três náufragos e uma narrativa muito diferente: os trinta marinheiros que desembarcaram no Brasil não eram heróis, e sim amotinados.
Assim começou uma guerra de versões entre os dois grupos, demonstrando que, enquanto estavam na ilha, a tripulação do Wager entrou em guerra, com facções lutando pelo domínio da região. Com mais acusações de traição e assassinato, o Almirantado convocou uma corte marcial para determinar quem estava dizendo a verdade, num processo que punha a vida de todos em xeque.
Os náufragos do Wager é uma narrativa fascinante sobre o comportamento humano em situações extremas, repleta de reviravoltas e escrita com ritmo de tirar o fôlego. Indo além da aventura histórica, David Grann mostra que o que estava sob julgamento não eram apenas o capitão e seus tripulantes, mas a própria ideia de império.

Sobre o autor