Home | Livros | Zahar | AS ABANDONADORAS
CLIQUE PARA AMPLIAR

AS ABANDONADORAS

Histórias sobre maternidade, criação e culpa

Begoña Gómez Urzaiz
Tradução: Eliana Aguiar

R$ 79,90

/ À vista

Apresentação

Que tipo de mãe abandona seu filho? Em As abandonadoras, a jornalista catalã Begoña Gómez Urzaiz enfrenta essa pergunta com reflexões em torno da culpa materna, da maternidade competitiva e da mãe como sujeito criativo.

Frequentemente comprados juntos

Zahar

As abandonadoras

Begoña Gómez Urzaiz

R$ 79,90

Alfaguara

Cidades da planície (Nova edição)

Cormac McCarthy

R$ 79,90

Alfaguara

Onde os velhos não têm vez (Nova edição)

Cormac McCarthy

R$ 79,90

Preço total de

R$ 239,70

Adicionar ao carrinho
Trilogia - Autor vencedor do Nobel de literatura 2023

Companhia das Letras

Trilogia - Autor vencedor do Nobel de literatura 2023

Jon Fosse

R$ 69,90

Sobre literatura e história

Companhia das Letras

Sobre literatura e história

Júlio Pimentel Pinto

R$ 99,90

Uma guerra afro-atlântica

Zahar

Uma guerra afro-atlântica

Vincent Brown

R$ 149,90

Cupim

Alfaguara

Cupim

Layla Martínez

R$ 69,90

Indisponível
Palmeiras selvagens

Companhia das Letras

Palmeiras selvagens

William Faulkner

R$ 119,90

Passeio com o gigante

Companhia das Letras

Passeio com o gigante

Michel Laub

R$ 69,90

O bom da idade

Objetiva

O bom da idade

Daniel J. Levitin

R$ 119,90

Os náufragos do Wager

Companhia das Letras

Os náufragos do Wager

David Grann

R$ 89,90

Indisponível
O século das luzes (Nova edição)

Companhia das Letras

O século das luzes (Nova edição)

Alejo Carpentier

R$ 89,90

Indisponível

Ficha Técnica

Título original: Las Abandonadoras Páginas: 280 Formato: 14.00 X 21.00 cm Peso: 0.34 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 05/03/2024
ISBN: 978-65-5979-163-7 Selo: Zahar Capa: Elisa von Randow Ilustração:

SOBRE O LIVRO

Que tipo de mãe abandona seu filho? Em As abandonadoras, a jornalista catalã Begoña Gómez Urzaiz enfrenta essa pergunta com reflexões em torno da culpa materna, da maternidade competitiva e da mãe como sujeito criativo.

Com empatia, autocrítica e surpreendente leveza para um tema incômodo, a autora parte de suas próprias interrogações para construir esta coleção de ensaios sobre os recantos obscuros da maternidade -- não querer ser mãe, arrepender-se de ser mãe, viver maternidades turbulentas --, na qual explora as trajetórias e os motivos de mulheres que decidiram se apartar dos filhos, seja por carreira, por não se sentirem apegadas, por falta de recursos ou apenas porque assim quiseram.
Artistas e escritoras como Ingrid Bergman, Gala Dalí e Muriel Spark figuram nesse rol de abandonadoras, ao lado de personagens clássicas da ficção, seja a Anna Kariênina de Tolstói ou a Nora Helmer de Ibsen. Mas há também mulheres comuns, quase sempre soterradas por culpas e inseguranças. Na tentativa de compreendê-las, Begoña expõe reflexões acerca de sua própria experiência; questiona a construção social da mãe que se sacrifica e renuncia a seus desejos; e também aborda fenômenos opressores recentes, como as momfluencers e a maternidade "perfeita".


"Desconfio que muitas das abandonadoras destas páginas buscavam um impossível: ter filhos sem ter que se transformar em mães. Não consigo imaginar desejo mais compreensível." -- Begoña Gómez Urzaiz

Sobre o autor