Home | Livros | Companhia das Letras | POR QUE A DEMOCRACIA BRASILEIRA NÃO MORREU?
CLIQUE PARA AMPLIAR

POR QUE A DEMOCRACIA BRASILEIRA NÃO MORREU?

Marcus André Melo e Carlos Pereira

R$ 99,90

/ À vista

Apresentação

A democracia brasileira correu risco? Será que conquistaríamos uma melhor governança implementando um novo arranjo institucional? Neste livro, Marcus André Melo e Carlos Pereira se debruçam sobre esse debate, e oferecem uma relevante e surpreendente análise sobre as funcionalidades e disfuncionalidades do modelo político brasileiro. Com orelha assinada por Sérgio Abranches.

Você pode gostar também de

Companhia das Letras

Golpe de misericórdia

Dennis Lehane

R$ 99,90

Companhia das Letras

A história dos judeus, vol. 2

Simon Schama

R$ 189,90

Companhia das Letras

Noites de peste

Orhan Pamuk

R$ 169,90

Companhia das Letras

Tudo bem ficar com raiva do capitalismo

Bernie Sanders John Nichols

R$ 89,90

Companhia das Letras

Uma hora de fervor

Muriel Barbery

R$ 64,90

Companhia das Letras

A transição inacabada

Lucas Pedretti

R$ 99,90

Alfaguara

O Fim do Mundo e o impiedoso País das Maravilhas

Haruki Murakami

R$ 109,90

Companhia das Letras

Bíblia -- Volume IV

R$ 199,90

Alfaguara

O comprometido

Viet Thanh Nguyen

R$ 119,90

Ficha Técnica

Páginas: 272 Formato: 14.00 X 21.00 cm Peso: 0.338 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 28/05/2024
ISBN: 978-85-3593-757-2 Selo: Companhia das Letras Capa: Ilustração:

SOBRE O LIVRO

A democracia brasileira correu risco? Será que conquistaríamos uma melhor governança implementando um novo arranjo institucional? Neste livro, Marcus André Melo e Carlos Pereira se debruçam sobre esse debate, e oferecem uma relevante e surpreendente análise sobre as funcionalidades e disfuncionalidades do modelo político brasileiro. Com orelha assinada por Sérgio Abranches.

Nos últimos dez anos, a democracia brasileira enfrentou incontáveis desafios: desde um polêmico processo de impeachment, passando pela eleição de um político de extrema direita até sua subsequente (e conturbada) derrota nas urnas para o líder de esquerda mais popular do Brasil.
Essa avalanche de acontecimentos colocou em xeque a eficiência do nosso próprio sistema de governo: o presidencialismo multipartidário. Ganhou força a interpretação de que o equilíbrio nas relações entre Executivo e Legislativo foi perdido, e de que o presidencialismo não é mais capaz de garantir uma governabilidade eficiente. No entanto, para os cientistas políticos Marcus André Melo e Carlos Pereira, a questão é bem mais complexa.
Dialogando com os estudos mais recentes sobre o assunto, os autores atestam como as instituições democráticas têm sido resilientes e o presidencialismo continua cumprindo seu papel de incluir os mais variados interesses sociais no jogo político. As nossas instituições de controle estão vivas e vigilantes, e este livro explica como e por quê.

Sobre o autor