Home | Livros | Zahar | A ÉTICA É POSSÍVEL NUM MUNDO DE CONSUMIDORES?
CLIQUE PARA AMPLIAR

A ÉTICA É POSSÍVEL NUM MUNDO DE CONSUMIDORES?

Zygmunt Bauman

R$ 79,90

/ À vista

Frequentemente comprados juntos

Zahar

A ética é possível num mundo de consumidores?

Zygmunt Bauman

R$ 79,90

Zahar

Vida a crédito

Zygmunt Bauman

R$ 79,90

Zahar

A riqueza de poucos beneficia todos nós?

Zygmunt Bauman

R$ 59,90

Preço total de

R$ 219,70

Adicionar ao carrinho

Você pode gostar também de

Zahar

A riqueza de poucos beneficia todos nós?

Zygmunt Bauman

R$ 59,90

Zahar

A sociedade individualizada

Zygmunt Bauman

R$ 89,90

Indisponível

Zahar

Vida a crédito

Zygmunt Bauman

R$ 79,90

Zahar

Danos colaterais

Zygmunt Bauman

R$ 79,90

Indisponível

Zahar

Capitalismo parasitário

Zygmunt Bauman

R$ 59,90

Zahar

Vida em fragmentos

Zygmunt Bauman

R$ 99,90

Indisponível

Zahar

A individualidade numa época de incertezas

Bauman Zygmunt Rein Raud

R$ 74,90

Indisponível

Zahar

Para que serve a sociologia?

Zygmunt Bauman

R$ 64,90

Zahar

Nascidos em tempos líquidos

Zygmunt Bauman Thomas Leoncini

R$ 59,90

Indisponível

Zahar

Ensaios sobre o conceito de cultura

Zygmunt Bauman

R$ 89,90

Indisponível

Zahar

44 cartas do mundo líquido moderno

Zygmunt Bauman

R$ 79,90

Indisponível

Zahar

Mal líquido

Zygmunt Bauman Leonidas Donskis

R$ 79,90

Indisponível

Ficha Técnica

Páginas: 276 Formato: 14.00 X 21.00 cm Peso: 0.383 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 29/08/2011
ISBN: 978-85-3780-716-3 Selo: Zahar Ilustração:

SOBRE O LIVRO

"Esse livro é o relatório de um campo de batalha." Com essa afirmação, Zygmunt Bauman abre a coletânea que reúne seis de suas conferências proferidas no Instituto de Ciências Humanas de Viena, em 2008. A ética é o ponto em comum entre cada um dos textos. O autor sugere que seja adotada uma nova lógica que nos permita ler a realidade atual e apresente uma tentativa desafiadora de captar o mundo em movimento.
Dialogando com pensadores como Hannah Arendt, Jacques Derrida e Norbert Elias, o sociólogo reflete sobre o papel da arte no mundo líquido moderno; o dilema da Europa frente aos estrangeiros; a banalização da ideia do Holocausto; a impossibilidade de se debater a liberdade pelo predomínio do medo e da insegurança; a educação e o desenvolvimento de uma atitude ética, em um século dominado por forças antagônicas, como a globalização e políticas de forças locais.
Seis textos que refletem lúcidos estudos da sociedade contemporânea.