Home | Livros | Companhia das Letras | UM COPO DE CÓLERA
CLIQUE PARA AMPLIAR
Ler um trecho

UM COPO DE CÓLERA

Raduan Nassar

R$ 59,90

/ À vista

Apresentação

Texto virulento, narrado em primeira pessoa e com escassos pontos finais, sobre a relação entre homem e mulher e a oposição entre paixão e racionalidade. De uma potência verbal impressionante, como se a força do conteúdo fosse capaz de dilacerar a tessitura da prosa.

Frequentemente comprados juntos

Companhia das Letras

Um copo de cólera

Raduan Nassar

R$ 59,90

Companhia das Letras

Lavoura arcaica

Raduan Nassar

R$ 74,90

Companhia das Letras

A vida não é útil

Ailton Krenak

R$ 44,90

Preço total de

R$ 179,70

Adicionar ao carrinho

Você pode gostar também de

Companhia das Letras

Um copo de cólera

Raduan Nassar

R$ 89,90

Indisponível

Companhia das Letras

O avesso da pele - Vencedor Jabuti 2021

Jeferson Tenório

R$ 74,90

Companhia das Letras

Pequena coreografia do adeus

Aline Bei

R$ 64,90

Companhia das Letras

A vida não é útil

Ailton Krenak

R$ 44,90

Companhia das Letras

As cidades invisíveis

Italo Calvino

R$ 69,90

Companhia das Letras

Grande sertão: veredas

João Guimarães Rosa

R$ 104,90

Companhia das Letras

Lavoura arcaica

Raduan Nassar

R$ 84,90

Indisponível

Companhia das Letras

Ensaio sobre a cegueira (Nova edição)

José Saramago

R$ 74,90

Companhia das Letras

O jogo da amarelinha

Julio Cortázar

R$ 124,90

Ficha Técnica

Título original: Um copo de cólera Páginas: 88 Formato: 13.00 X 19.00 cm Peso: 0.106 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 24/04/1992
ISBN: 978-85-7164-243-0 Selo: Companhia das Letras Ilustração:

SOBRE O LIVRO

Texto virulento, narrado em primeira pessoa e com escassos pontos finais, sobre a relação entre homem e mulher e a oposição entre paixão e racionalidade. De uma potência verbal impressionante, como se a força do conteúdo fosse capaz de dilacerar a tessitura da prosa.

"... e estava assim na janela, quando ela veio por trás e se enroscou de novo em mim, passando desenvolta a corda dos braços pelo meu pescoço, mas eu com jeito, usando de leve os cotovelos, amassando um pouco seus firmes seios, acabei dividindo com ela a prisão a que estava sujeito, e, lado a lado, entrelaçados, os dois passamos, aos poucos, a trançar os passos, e foi assim que fomos diretamente pro chuveiro.""O corpo antes da roupa", afirma o personagem de Um copo de cólera ao narrar o que acontece numa manhã qualquer, depois de uma noite de amor, quando a aparente harmonia entre ele e sua parceira se rompe de repente. Tensa, contundente, a linguagem de Um copo de cólera alcança tal intensidade e vibração que faz desta narrativa uma obra singular da literatura brasileira, um clássico dos nossos tempos.

Sobre o autor

Prêmios