Home | Livros | Companhia das Letras | O CORPO CRÍTICO
CLIQUE PARA AMPLIAR
Ler um trecho

O CORPO CRÍTICO

Jean-Claude Bernardet

R$ 47,90

/ À vista

Apresentação

Um relato sensível e atroz sobre o corpo, a doença e a vida, por um dos maiores críticos de cinema do país.

Frequentemente comprados juntos

Companhia das Letras

O corpo crítico

Jean-Claude Bernardet

R$ 47,90

Companhia das Letras

Pequena coreografia do adeus

Aline Bei

R$ 50,32

Companhia das Letras

A queda do céu

Davi Kopenawa e Bruce Albert

R$ 102,90

Preço total de

R$ 201,12

Adicionar ao carrinho

Você pode gostar também de

Companhia das Letras

O deus das avencas

Daniel Galera

R$ 62,90

Companhia das Letras

Pequena coreografia do adeus

Aline Bei

R$ 50,32

Companhia das Letras

Guignard: anjo mutilado

Marcelo Bortoloti

R$ 119,90

Zahar

Uma história feita por mãos negras

Beatriz Nascimento

R$ 62,90

Quadrinhos na Cia

Manual do Minotauro

Laerte

R$ 112,90

Companhia das Letras

O último gozo do mundo

Bernardo Carvalho

R$ 57,90

Companhia das Letras

Poemas (2006-2014)

Louise Glück

R$ 87,90

Ficha Técnica

Páginas: 128 Formato: 12.00 X 18.00 cm Peso: 0.136 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 27/05/2021
ISBN: 978-65-5921-048-0 Selo: Companhia das Letras Capa: Kiko Farkas Ilustração:

SOBRE O LIVRO

Um relato sensível e atroz sobre o corpo, a doença e a vida, por um dos maiores críticos de cinema do país.

Desde que tornou público, na década de 1990, ser soropositivo, Jean-Claude Bernardet sofreu de meningite, perdeu parte da visão e foi diagnosticado com câncer duas vezes. Da primeira, achou que estaria curado – até a reincidência da doença, que, desta vez, decidiu não tratar.
Os ensaios aqui reunidos ponderam sobre a suposta obrigatoriedade da cura, imposta pela medicina em detrimento do bem-estar do paciente. O que Bernardet vê como realmente incontornável é a necessidade de se estar sempre em movimento, atuando como agente da própria vida.
"Preciso sair desse limbo dos pré-mortos para onde vou sendo empurrado, o que vai me matar não é a doença, é a rede que está se fechando em volta de mim", diz o crítico. Abdicando da constante perspectiva da morte, Jean-Claude Bernardet constrói um sólido manifesto sobre a liberdade do corpo e o poder da escolha, seja para dançar, andar sem rumo ou se curar.

Com a reprodução integral de A doença, uma experiência.

Sobre o autor