Home | Livros | Companhia de Bolso | AMAVISSE E OUTROS POEMAS
CLIQUE PARA AMPLIAR
Ler um trecho

AMAVISSE E OUTROS POEMAS

Hilda Hilst

R$ 49,90

/ À vista

Apresentação

O volume reúne a última fase da poeta, de Amavisse (1989) a Cantares do sem nome e de partidas (1995).

Frequentemente comprados juntos

Companhia de Bolso

Amavisse e outros poemas

Hilda Hilst

R$ 49,90

Companhia das Letras

Júbilo, memória, noviciado da paixão

Hilda Hilst

R$ 59,90

Companhia das Letras

De amor tenho vivido

Hilda Hilst

R$ 69,90

Preço total de

R$ 179,70

Adicionar ao carrinho

Você pode gostar também de

Companhia das Letras

Júbilo, memória, noviciado da paixão

Hilda Hilst

R$ 59,90

Companhia das Letras

De amor tenho vivido

Hilda Hilst

R$ 69,90

Companhia das Letras

Pequena coreografia do adeus

Aline Bei

R$ 64,90

Companhia das Letras

Um útero é do tamanho de um punho

Angélica Freitas

R$ 49,90

Companhia das Letras

O caderno rosa de Lori Lamby

Hilda Hilst

R$ 59,90

Zahar

Por um feminismo afro-latino-americano

Lélia Gonzalez

R$ 79,90

Companhia das Letras

Cartas para minha avó

Djamila Ribeiro

R$ 54,90

Companhia das Letras

A vida não é útil

Ailton Krenak

R$ 44,90

Ficha Técnica

Páginas: 128 Formato: 12.50 X 18.00 cm Peso: 0.112 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 19/07/2021
ISBN: 978-65-5921-080-0 Selo: Companhia de Bolso Capa: Elisa von Randow Ilustração:

SOBRE O LIVRO

O volume reúne a última fase da poeta, de Amavisse (1989) a Cantares do sem nome e de partidas (1995).

Em 1989, inconformada com a recepção de seus livros, Hilda Hilst afirmou que Amavisse marcava sua despedida: "Não vou publicar mais nada, porque considerei um desaforo o silêncio". Mais tarde, o volume se consagraria como um dos títulos mais celebrados de sua obra e seria incorporado à coletânea Do desejo, em 1992. A trajetória de Hilda na poesia se encerraria de fato poucos anos depois, em 1995.
Este volume inclui a produção final da poeta: Amavisse, Via espessa, Via vazia, Alcoólicas, Do desejo, Da noite e Cantares do sem nome e de partidas. Em tom metafísico, os versos abordam a passagem do tempo, o fim do amor, os planos que não se concretizam, as barcas afundadas, a proximidade da morte: "Há de viver na paisagem da mente// Como a distância habita em certos pássaros/ Como o poeta habita nas ardências".

Sobre o autor