Home | Livros | Companhia das Letras | MONGÓLIA
CLIQUE PARA AMPLIAR

MONGÓLIA

Bernardo Carvalho

R$ 57,90

/ À vista

Apresentação

Um diplomata brasileiro recém-chegado à China é enviado à vizinha Mongólia em busca de um jovem fotógrafo desaparecido um ano antes. Bernardo Carvalho compõe uma narrativa de ficção ambientada num país sem memória e explora temas como a dificuldade do encontro com o desconhecido e a relação entre imaginação e realidade.

Frequentemente comprados juntos

Companhia das Letras

Mongólia

Bernardo Carvalho

R$ 57,90

Companhia das Letras

Nove noites

Bernardo Carvalho

R$ 62,90

Companhia de Bolso

o professor e o louco

Simon Winchester

R$ 44,90

Preço total de

R$ 165,70

Adicionar ao carrinho

Você pode gostar também de

Companhia das Letras

Simpatia pelo demônio

Bernardo Carvalho

R$ 59,90

Companhia das Letras

O sol se põe em São Paulo

Bernardo Carvalho

R$ 62,90

Indisponível

Companhia das Letras

Aberração

Bernardo Carvalho

R$ 42,90

Indisponível

Companhia das Letras

O último gozo do mundo

Bernardo Carvalho

R$ 57,90

Companhia das Letras

As iniciais

Bernardo Carvalho

R$ 54,90

Indisponível

Companhia das Letras

Onze

Bernardo Carvalho

R$ 62,90

Indisponível

Companhia das Letras

Os bêbados e os sonâmbulos

Bernardo Carvalho

R$ 47,90

Indisponível

Ficha Técnica

Título original: Mongólia Páginas: 192 Formato: 14.00 X 21.00 cm Peso: 0.275 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 03/10/2003
ISBN: 978-85-3590-422-2 Selo: Companhia das Letras Ilustração:

SOBRE O LIVRO

Um diplomata brasileiro recém-chegado à China é enviado à vizinha Mongólia em busca de um jovem fotógrafo desaparecido um ano antes. Bernardo Carvalho compõe uma narrativa de ficção ambientada num país sem memória e explora temas como a dificuldade do encontro com o desconhecido e a relação entre imaginação e realidade.

O romance Mongólia estrutura-se como um "diálogo" entre o diário de um fotógrafo desaparecido nos montes Altai e as anotações do diplomata brasileiro encarregado de encontrá-lo.
A narrativa apresenta experiências marcadas pelo contato do olhar estrangeiro com a cultura de um país desconhecido: a vida dos nômades no deserto de Gobi e nas estepes mongóis, dos tsaatan (criadores de renas) na fronteira com a Rússia e a dos criadores de camelos no deserto de Sharga; os encontros com um cantor difônico, um monge budista e um falcoeiro cazaque.
Os protagonistas se vêem diante de um povo que exercita o misticismo como quem descobre a liberdade depois de setenta anos sob o jugo de uma ditadura comunista. Na Mongólia, a imaginação, antes cerceada, agora ocupa o lugar da memória que se perdeu pelo uso da força.
Desconfiados e iludidos, os mongóis misturam a percepção da realidade com o desejo e a imaginação, assombrados por histórias cuja veracidade só podem provar com a própria perdição.
O autor viajou à Mongólia em 2002 com uma bolsa concedida pela editora portuguesa Cotovia em parceria com a Fundação Oriente de Lisboa.

Prêmios