Home | Livros | Companhia de Bolso | NOVE NOITES
CLIQUE PARA AMPLIAR
Ler um trecho

NOVE NOITES

Bernardo Carvalho

R$ 49,90

/ À vista

Apresentação

Em 1939, o antropólogo americano Buell Quain se matou, aos 27 anos, ao tentar voltar para a civilização, vindo de uma aldeia indígena no interior do Brasil. Sessenta e dois anos depois, ao descobrir o episódio por acaso, o narrador de Nove noites começa uma investigação obsessiva para elucidar o suicídio e acertar contas com a própria história.

Frequentemente comprados juntos

Companhia de Bolso

Nove noites

Bernardo Carvalho

R$ 49,90

Companhia de Bolso

Terra sonâmbula

Mia Couto

R$ 49,90

Companhia das Letras

Poemas escolhidos de Gregório de Matos

Gregório de Matos

R$ 69,90

Preço total de

R$ 169,70

Adicionar ao carrinho

Você pode gostar também de

Paralela

A dieta da mente (Edição revista e atualizada)

Dr. David Perlmutter Kristin Loberg

R$ 79,90

Seguinte

Eu sou Malala (Edição juvenil)

Malala Yousafzai Patricia McCormick

R$ 59,90

Zahar

Os árabes

Eugene Rogan

R$ 159,90

Companhia das Letrinhas

Capitão Cueca e o ataque das privadas falantes - Em cores!

Dav Pilkey

R$ 59,90

Seguinte

O filho rebelde

Rainbow Rowell

R$ 69,90

Companhia das Letras

A insustentável leveza do ser

Milan Kundera

R$ 67,92

Companhia das Letras

Formação econômica do Brasil

Celso Furtado

R$ 80,91

Companhia das Letras

A revolução dos bichos

George Orwell

R$ 23,92

Companhia de Bolso

O mundo assombrado pelos demônios

Carl Sagan

R$ 64,90

Companhia de Bolso

O queijo e os vermes

Carlo Ginzburg

R$ 46,67

Companhia das Letras

50 contos de Machado de Assis

Machado de Assis

R$ 79,90

Ficha Técnica

Título original: Nove noites (edição de bolso) Páginas: 152 Formato: 12.50 X 18.00 cm Peso: 0.135 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 03/07/2006
ISBN: 978-85-3590-861-9 Selo: Companhia de Bolso Ilustração:

SOBRE O LIVRO

Em 1939, o antropólogo americano Buell Quain se matou, aos 27 anos, ao tentar voltar para a civilização, vindo de uma aldeia indígena no interior do Brasil. Sessenta e dois anos depois, ao descobrir o episódio por acaso, o narrador de Nove noites começa uma investigação obsessiva para elucidar o suicídio e acertar contas com a própria história.

Em 1939, o antropólogo americano Buell Quain se matou, aos 27 anos, ao tentar voltar para a civilização, vindo de uma aldeia indígena no interior do Brasil. Sessenta e dois anos depois, ao descobrir o episódio por acaso, o narrador de Nove noites começa uma investigação obsessiva para elucidar o suicídio e acertar contas com a própria história.

Na noite de 2 de agosto de 1939, um jovem e promissor antropólogo americano, Buell Quain, se matou, aos 27 anos, de forma violenta, enquanto tentava voltar para a civilização, vindo de uma aldeia indígena no interior do Brasil. O caso se tornou um tabu para a antropologia brasileira, foi logo esquecido e permaneceu em grande parte desconhecido do público.
Sessenta e dois anos depois, ao tomar conhecimento da história por acaso, num artigo de jornal, o narrador deste livro é levado a investigar de maneira obsessiva e inexplicada as razões do suicídio do antropólogo. Em sua busca obstinada pelas cartas do morto ou pelo testamento de um engenheiro que ficara amigo do antropólogo nos seus últimos meses de vida, o narrador é guiado por razões pessoais que não serão reveladas até o final do romance, mas que dizem respeito à sua experiência de criança na selva, à história e à morte de seu próprio pai.
Nove noites narra a descida ao coração das trevas empreendida pelo jovem expoente da antropologia americana, colega de Lévi-Strauss e aluno dileto de Ruth Benedict, às vésperas da Segunda Guerra. A história é contada em dois tempos, na tribo dos índios krahô (interior do sertão brasileiro) e na combinação progressiva entre a busca pelo testamento do engenheiro e a pesquisa que o narrador vai fazendo em arquivos, atrás das cartas do antropólogo e dos que o conheceram na época.
Para escrever o livro, Bernardo Carvalho travou contato com os Krahô, no Estado do Tocantins, e foi aos Estados Unidos em busca de documentos e pessoas que pudessem saber algo sobre o antropólogo. A história de Buell Quain revela as contradições e os desejos de um homem sozinho numa terra estranha, confrontado com os seus próprios limites e com a alteridade mais absoluta, numa narrativa que faz referências aos romances de Joseph Conrad e aos relatos do escritor inglês Bruce Chatwin.

* Leitura obrigatória dos vestibulares da UFPR e Faculdade Cásper Líbero.