Home | Livros | Companhia das Letras | O NOME DO BISPO
CLIQUE PARA AMPLIAR

O NOME DO BISPO

Zulmira Ribeiro Tavares

R$ 74,90

/ À vista

Apresentação

Um homem de meia-idade atravessa uma crise existencial, uma ruptura entre passado e presente metaforizada na indiscreta doença que o obriga a internar-se para uma cirurgia. Escrito com elegância e precisão analítica, o romance - publicado originalmente em 1985 - recebeu o prêmio Mercedes-Benz de literatura e foi traduzido para o alemão.

Frequentemente comprados juntos

Companhia das Letras

O nome do bispo

Zulmira Ribeiro Tavares

R$ 74,90

Companhia das Letras

São Jorge dos Ilhéus

Jorge Amado

R$ 94,90

Companhia das Letras

Anarquistas, graças a Deus

Zélia Gattai

R$ 84,90

Preço total de

R$ 254,70

Adicionar ao carrinho
Esboço de auto-análise

Companhia das Letras

Esboço de auto-análise

Pierre Bourdieu

R$ 52,90

Indisponível
Tenda dos milagres

Companhia das Letras

Tenda dos milagres

Jorge Amado

R$ 94,90

Putas assassinas

Companhia das Letras

Putas assassinas

Roberto Bolaño

R$ 64,90

Indisponível
São Jorge dos Ilhéus

Companhia das Letras

São Jorge dos Ilhéus

Jorge Amado

R$ 94,90

Tieta do Agreste

Companhia das Letras

Tieta do Agreste

Jorge Amado

R$ 109,90

Três mulheres de três pppês

Companhia das Letras

Três mulheres de três pppês

Paulo Emílio Sales Gomes

R$ 59,90

Dona flor e seus dois maridos

Companhia das Letras

Dona flor e seus dois maridos

Jorge Amado

R$ 99,90

Ficha Técnica

Título original: O nome do bispo Páginas: 232 Formato: 14.00 X 21.00 cm Peso: 0.293 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 19/08/2004
ISBN: 978-85-3590-535-9 Selo: Companhia das Letras Ilustração:

SOBRE O LIVRO

Um homem de meia-idade atravessa uma crise existencial, uma ruptura entre passado e presente metaforizada na indiscreta doença que o obriga a internar-se para uma cirurgia. Escrito com elegância e precisão analítica, o romance - publicado originalmente em 1985 - recebeu o prêmio Mercedes-Benz de literatura e foi traduzido para o alemão.

Heládio Marcondes Pompeu, membro da aristocracia decadente paulista, está perto dos cinqüenta anos e coleciona uma série de experiências profissionais malogradas. Apesar disso, ainda dispõe de alguma reserva financeira, o que lhe permite ser operado num confortável hospital. Internado, alterna momentos de sono e vigília, suas conjecturas avançam e recuam e se misturam a recordações e delírios de forma aparentemente confusa, às vezes enigmática, e quase sempre engraçada. A dor lhe aguça a percepção da realidade e Heládio enxerga, subitamente, as transformações urbanas de São Paulo; depois, revê a história da família e acontecimentos pessoais ocorridos durante o regime militar. Crítica social demolidora.

Sobre o autor