Home | Livros | Companhia das Letras | TIETA DO AGRESTE
CLIQUE PARA AMPLIAR
Ler um trecho

TIETA DO AGRESTE

Jorge Amado

R$ 109,90

/ À vista
ou em até 2x no crédito de R$ 54,95

Apresentação

Uma caudalosa e elaborada parábola moral e política, em que personagens inesquecíveis se veem às voltas com temas agudamente atuais, como o desequilíbrio ambiental e a corrupção política.

Frequentemente comprados juntos

Companhia das Letras

Tieta do Agreste

Jorge Amado

R$ 109,90

Companhia das Letras

Gabriela cravo e canela

Jorge Amado

R$ 89,90

Companhia das Letras

Dona flor e seus dois maridos

Jorge Amado

R$ 99,90

Preço total de

R$ 299,70

Adicionar ao carrinho

Você pode gostar também de

Companhia das Letras

Gabriela cravo e canela

Jorge Amado

R$ 89,90

Companhia das Letras

Dona flor e seus dois maridos

Jorge Amado

R$ 99,90

Indisponível

Companhia das Letras

Tereza Batista cansada de guerra

Jorge Amado

R$ 99,90

Companhia das Letras

Tenda dos milagres

Jorge Amado

R$ 94,90

Indisponível

Companhia das Letras

Cacau

Jorge Amado

R$ 79,90

Indisponível

Companhia das Letras

A morte e a morte de Quincas Berro D'água

Jorge Amado

R$ 59,90

Companhia das Letras

Capitães da areia

Jorge Amado

R$ 69,90

Companhia das Letras

Bahia de todos-os-santos

Jorge Amado

R$ 99,90

Indisponível

Companhia das Letras

São Jorge dos Ilhéus

Jorge Amado

R$ 94,90

Companhia das Letras

Jubiabá

Jorge Amado

R$ 94,90

Indisponível

Ficha Técnica

Título original: Tieta do agreste Páginas: 656 Formato: 14.00 X 21.00 cm Peso: 0.771 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 27/03/2009
ISBN: 978-85-3591-404-7 Selo: Companhia das Letras Ilustração:

SOBRE O LIVRO

Uma caudalosa e elaborada parábola moral e política, em que personagens inesquecíveis se veem às voltas com temas agudamente atuais, como o desequilíbrio ambiental e a corrupção política.

Fogosa pastora de cabras e namoradora de homens, a adolescente Tieta é surrada pelo pai e expulsa de Santana do Agreste graças à delação de suas aventuras eróticas por parte da irmã mais velha, a pudica e reprimida Perpétua. Um quarto de século depois, rica quarentona, Tieta retorna em triunfo ao vilarejo, no interior da Bahia. Com dinheiro e influência política, ajuda a família e traz benefícios à comunidade, entre eles a luz elétrica.
Para os parentes e amigos de Agreste, Tieta enriqueceu no sul ao se casar com um industrial e comendador. Mas aos poucos o narrador vai plantando no leitor a dúvida, o descrédito, até revelar a história oculta da protagonista: Tieta se prostituíra e virara cafetina em São Paulo, razão de sua riqueza e de seu trânsito entre os poderosos. Nesse acerto de contas com o passado, ela acaba se envolvendo na acirrada disputa em torno do futuro do lugarejo.
Publicado em 1977, o romance foi adaptado com sucesso para a televisão e o cinema. A narrativa descontínua, feita de avanços, recuos e mudanças do ponto de vista, atesta a maturidade literária de Jorge Amado e mantém até hoje o impacto e o frescor.