Home | Livros | Companhia das Letras | MÚSICA PARA CAMALEÕES
CLIQUE PARA AMPLIAR
Ler um trecho

MÚSICA PARA CAMALEÕES

Truman Capote
Tradução: Sergio Flaksman

Apresentação

Consagrado em vida pelo sucesso de A sangue frio, Truman Capote não se deu por satisfeito e radicalizou os princípios do jornalismo literário: em Música para camaleões, último livro que concluiu, o narrador divide a cena e a palavra com suas personagens.

Frequentemente comprados juntos

Companhia das Letras

Música para camaleões

Truman Capote

R$ 79,90

Companhia das Letras

Os detetives selvagens

Roberto Bolaño

R$ 109,90

Companhia das Letras

Ficções (1944)

Jorge Luis Borges

R$ 74,90

Preço total de

R$ 264,70

Adicionar ao carrinho

Você pode gostar também de

Companhia das Letras

Bonequinha de luxo

Truman Capote

R$ 64,90

Alfaguara

Travessia de verão

Truman Capote

R$ 64,90

Indisponível

Companhia das Letras

20 contos de truman capote

Truman Capote

R$ 52,90

Indisponível

Companhia das Letras

Os livros e os dias

Alberto Manguel

R$ 59,90

Indisponível

Cia das Letras

A vingança da baleia

Nathaniel Philbrick

R$ 59,90

Indisponível

Companhia das Letras

Fama e anonimato

Gay Talese

R$ 109,90

Companhia das Letras

Os detetives selvagens

Roberto Bolaño

R$ 109,90

Companhia das Letras

47 contos de Isaac Bashevis Singer

Isaac Bashevis Singer

R$ 79,90

Indisponível

Companhia das Letras

Origem

Thomas Bernhard

R$ 94,90

Indisponível

Ficha Técnica

Título original: Music for chameleons Páginas: 312 Formato: 14.00 X 21.00 cm Peso: 0.388 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 15/02/2006
ISBN: 978-85-3590-782-7 Selo: Companhia das Letras Ilustração:

SOBRE O LIVRO

Consagrado em vida pelo sucesso de A sangue frio, Truman Capote não se deu por satisfeito e radicalizou os princípios do jornalismo literário: em Música para camaleões, último livro que concluiu, o narrador divide a cena e a palavra com suas personagens.

Ainda jovem, Truman Capote percebera que "havia uma diferença entre escrever muito bem e a verdadeira arte; sutil, mas devastadora". Na literatura como na intimidade, viveu sob o mandamento de apostar sempre mais alto. Música para camaleões (1980), ao mesmo tempo suma de todo o seu savoir-faire literário e aposta em novas formas de escrita, é a prova cabal disso. De fato, o sucesso de A sangue frio (1966) criara um dilema para Capote: como seguir adiante sem repisar as próprias pegadas?
A resposta encontra-se nesse livro, que radicaliza o projeto do jornalismo literário. Livre da envergadura romanesca, do anonimato e da imparcialidade, Capote arrisca-se na exibição plena de si e dos outros em peças ágeis, onde personagens e situações se revelam com limpidez máxima, beirando a ficção, mal importa quem sejam: o próprio Capote, uma velha dama caribenha tocando piano para camaleões, um parceiro beatnik de Charles Mason, um serial killer cerebrino contra um detetive empedernido no meio-oeste americano, um velório na companhia de Marilyn Monroe. Nas pequenas jóias de Música para camaleões, todos se revelam em exposição máxima, plenos de brilho, horror ou vulnerabilidade.

Sobre o autor