Home | Livros | Companhia das Letras | CONCERTO BARROCO
CLIQUE PARA AMPLIAR
Ler um trecho

CONCERTO BARROCO

Alejo Carpentier
Tradução: Josely Vianna Baptista

R$ 49,90

/ À vista

Apresentação

Um percurso por um "mapa alegórico" em que se desenham todas as linhas de força da cultura latino-americana, da imitação servil de modelos europeus à exploração de veios próprios.

Frequentemente comprados juntos

Companhia das Letras

Concerto barroco

Alejo Carpentier

R$ 49,90

Companhia das Letras

Contemplação / O foguista

Franz Kafka

R$ 52,90

Companhia das Letras

As avós

Doris Lessing

R$ 52,90

Preço total de

R$ 155,70

Adicionar ao carrinho

Você pode gostar também de

Ficha Técnica

Título original: Concierto barroco Páginas: 96 Formato: 14.00 X 21.00 cm Peso: 0.135 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 24/09/2008
ISBN: 978-85-3591-301-9 Selo: Companhia das Letras Ilustração:

SOBRE O LIVRO

Um percurso por um "mapa alegórico" em que se desenham todas as linhas de força da cultura latino-americana, da imitação servil de modelos europeus à exploração de veios próprios.

Em inícios do século XVIII, um milionário da prata mexicana, neto de conquistador maltrapilho, aristocrata há uma geração apenas, deixa a terra natal para uma temporada de luxos e prazeres em Veneza. Chegando à cidade em pleno Carnaval, o Amo e seu criado Filomeno serão protagonistas de um concerto sem igual, que reunirá os maiores prodígios da Europa barroca, mas também a música do Velho e do Novo Mundo.
O livro de Carpentier nos leva de uma Cidade do México que imita em prata lavrada todas as manias metropolitanas a uma Veneza em que, depois de muita peripécia erótica e musical, o Amo transformado em libretista do padre Antonio Vivaldi tentará levar à cena uma versão fiel e operística da conquista do México.
A tarefa, está claro, é impossível, mas o fracasso não resulta em impasse. Numa virada final - anacrônica e fabulosa, barroca e moderna ao mesmo tempo -, caberá a Filomeno tomar a batuta e transplantar sua própria versão do barroco de volta à América - e de volta ao século XX.
Certamente um dos grandes escritores latino-americanos do século XX, o cubano Alejo Carpentier chegou ao ápice de sua arte narrativa e musical nesta breve obra-prima de 1974, que o autor chamou de "suma teológica" de sua carreira e que o leitor brasileiro agora pode ler na primorosa tradução de Josely Vianna Baptista.

Sobre o autor