Home | Livros | Companhia das Letras | PORNOGRAFIA
CLIQUE PARA AMPLIAR
Ler um trecho

PORNOGRAFIA

Witold Gombrowicz
Tradução: Tomasz Barcinski

Apresentação

Publicado em 1960, Pornografia é um dos mais desafiadores e divertidos romances do cultuado escritor polonês Gombrowicz: numa atmosfera de realismo onírico, dois quarentões nutrem delirantes expectativas eróticas em relação a dois adolescentes.

Frequentemente comprados juntos

Companhia das Letras

Pornografia

Witold Gombrowicz

R$ 69,90

Companhia das Letras

Cosmos

Witold Gombrowicz

R$ 69,90

Companhia das Letras

Mestres Antigos

Thomas Bernhard

R$ 69,90

Preço total de

R$ 209,70

Adicionar ao carrinho

Ficha Técnica

Título original: Pornography Páginas: 208 Formato: 14.00 X 21.00 cm Peso: 0.262 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 27/01/2009
ISBN: 978-85-3591-364-4 Selo: Companhia das Letras Ilustração:

SOBRE O LIVRO

Publicado em 1960, Pornografia é um dos mais desafiadores e divertidos romances do cultuado escritor polonês Gombrowicz: numa atmosfera de realismo onírico, dois quarentões nutrem delirantes expectativas eróticas em relação a dois adolescentes.

"O homem está suspenso entre Deus e a juventude. Isso quer dizer que o homem tem dois ideais, a divindade e a juventude. Ele quer ser perfeito, imortal, onipotente. Ele quer ser Deus. E ele quer estar em plena florescência, fresco e róseo, para sempre instalado na fase ascendente da vida - ele quer ser jovem."
Essa é a esclarecedora definição do humano que Witold Gombrowicz cunhou na introdução de Pornografia, espécie de novela pastoral com farsa melodramática, thriller político com trama policial. A história gira em torno de dois amigos, Witold (o próprio Gombrowicz atuando como personagem-narrador) e Fryderyk, intelectuais boêmios e solteiros, que vão visitar uma propriedade rural na Polônia ocupada pelos nazistas, em 1943.
O que deveria ser um mero passeio bucólico no campo transforma-se em uma jornada obsessiva pela posse imaginária dos corpos sedutores de um casal de adolescentes, Henia e Karol, amigos desde a infância. Os visitantes urbanos, em tácito conluio, observam com precisão maníaca e quase indecente as ações e motivos dos dois jovens provincianos, detectando, analisando e dissecando o que supõem ser uma latente e não assumida atração física que une a garota e o rapazola à revelia de suas imaturas consciências.

Sobre o autor