Home | Livros | Companhia de Bolso | O CAMPO E A CIDADE
CLIQUE PARA AMPLIAR
Ler um trecho

O CAMPO E A CIDADE

Raymond Williams
Tradução: Paulo Henriques Britto

Apresentação

Examinando os reflexos do modo de vida rural e urbano na literatura inglesa do século XVI até o fim do século passado - e contrastando-os com as mudanças que efetivamente ocorreram na sociedade -, O campo e a cidade é considerado a obra-prima de Raymond Williams, um dos mais finos e respeitados críticos literários ingleses do século XX.

Você pode gostar também de

Companhia de Bolso

A ascensão do romance

Ian Watt

R$ 59,90

Indisponível

Companhia de Bolso

Oriente, Ocidente

Salman Rushdie

R$ 49,90

Companhia de Bolso

Visões da liberdade

Sidney Chalhoub

R$ 59,90

Companhia de Bolso

Os andarilhos do bem

Carlo Ginzburg

R$ 54,90

Companhia de Bolso

O último suspiro do Mouro

Salman Rushdie

R$ 64,90

Companhia de Bolso

Jean-Jacques Rousseau

Jean Starobinski

R$ 69,90

Companhia de Bolso

Cultura e imperialismo

Edward W. Said

R$ 74,90

Companhia de Bolso

Idade média idade dos homens

Georges Duby

R$ 54,90

Companhia de Bolso

Cultura popular na Idade Moderna

Peter Burke

R$ 64,90

Companhia de Bolso

Uma casa para o sr. Biswas

V. S. Naipaul

R$ 69,90

Companhia de Bolso

Abaixo as verdades sagradas

Harold Bloom

R$ 54,90

Ficha Técnica

Título original: The country and the city (pocket) Páginas: 536 Formato: 12.50 X 18.00 cm Peso: 0.438 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 04/02/2011
ISBN: 978-85-3591-796-3 Selo: Companhia de Bolso Ilustração:

SOBRE O LIVRO

Examinando os reflexos do modo de vida rural e urbano na literatura inglesa do século XVI até o fim do século passado - e contrastando-os com as mudanças que efetivamente ocorreram na sociedade -, O campo e a cidade é considerado a obra-prima de Raymond Williams, um dos mais finos e respeitados críticos literários ingleses do século XX.

O campo e a cidade, do célebre crítico marxista Raymond Williams, é uma análise das respostas que a literatura e o pensamento social deram, através dos tempos, a esses dois tipos de comunidade humana frequentemente contrastados. O caso inglês é exemplar nessa discussão, pois lá a Revolução Industrial operou muito cedo uma grande alteração nas relações entre campo e cidade, com um capitalismo agrário altamente desenvolvido substituindo o campesinato tradicional.
Para isso, o autor oferece leituras detalhadas de poemas bucólicos e antibucólicos, comparando-os com o desenvolvimento efetivo da sociedade rural inglesa, e examina as reações aos centros urbanos a partir dos séculos XVI e XVII, as mudanças decisivas ocorridas na Londres do século XVIII e a nova literatura urbana dos séculos XIX e XX, ou seja, as respostas seminais de Blake e Wordsworth no romantismo e as formas do romance de Dickens à ficção científica, passando por uma análise incontornável de James Joyce.

Sobre o autor