Home | Livros | Companhia das Letras | PRETO NO BRANCO
CLIQUE PARA AMPLIAR
Ler um trecho

PRETO NO BRANCO

Thomas E. Skidmore
Tradução: Donaldson M. Garschagen

R$ 72,90

/ À vista

Apresentação

Neste livro publicado originalmente em 1974 e agora em nova tradução, Skidmore traça as origens e trajetórias dos debates sobre raça no seio da elite nacional brasileira nas últimas décadas do Império e nas primeiras da República.

Frequentemente comprados juntos

Companhia das Letras

Preto no branco

Thomas E. Skidmore

R$ 72,90

Companhia das Letras

Contemplação / O foguista

Franz Kafka

R$ 52,90

Companhia das Letras

O navio negreiro

Marcus Rediker

R$ 82,90

Preço total de

R$ 208,70

Adicionar ao carrinho

Você pode gostar também de

Zahar

Antropologia cultural

Franz Boas

R$ 72,90

Companhia das Letras

Contemplação / O foguista

Franz Kafka

R$ 52,90

Companhia das Letras

Alimentar a cidade

Richard Graham

R$ 77,90

Companhia das Letras

Represálias selvagens

Peter Gay

R$ 62,90

Companhia das Letras

Travessias difíceis

Simon Schama

R$ 87,90

Companhia das Letras

Brasil

Thomas E. Skidmore

R$ 82,90

Indisponível

Ficha Técnica

Título original: Black in to white Páginas: 400 Formato: 14.00 X 21.00 cm Peso: 0.481 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 15/03/2012
ISBN: 978-85-3592-057-4 Selo: Companhia das Letras Ilustração:

SOBRE O LIVRO

Neste livro publicado originalmente em 1974 e agora em nova tradução, Skidmore traça as origens e trajetórias dos debates sobre raça no seio da elite nacional brasileira nas últimas décadas do Império e nas primeiras da República.

Preto no branco é um trabalho já clássico e, de certa forma, premonitório. Nos anos 1970, época em que a questão racial andava esquecida pela academia, e ainda não fazia parte do debate público, Thomas E. Skidmore, decano entre os "brasilianistas", tenta compreender um momento central para a explicação do racismo na sociedade brasileira. Seu estudo causou grande sensação na época e ajudou a recolocar em pauta esse tema agudo da realidade nacional. Com base nos escritos e discursos de uma grande gama de cientistas, políticos e romancistas, o livro revela que a intelligentsia local, influenciada por padrões e formas europeus, procurou acomodar as teorias racistas então em voga - que consideravam o negro inferior e condenavam a mestiçagem - à situação local. A solução original encontrada foi o "branqueamento" da sociedade, por meio da imigração europeia. Skidmore mostra, no entanto, como as ideias deterministas foram gradualmente cedendo lugar a novas perspectivas, que davam ênfase aos aspectos positivos da miscigenação, e acabaram por produzir um consenso sobre a existência de uma "democracia racial" no país, tese que gerou uma percepção distorcida do racismo brasileiro.

Sobre o autor