Home | Livros | Companhia de Bolso | O QUEIJO E OS VERMES
CLIQUE PARA AMPLIAR
Ler um trecho

O QUEIJO E OS VERMES

Carlo Ginzburg
Tradução: Maria Betânia Amoroso

R$ 54,90

/ À vista

Apresentação

Narrando a vida de um obscuro herege do século XVI, Ginzburg escreve uma história envolvente sobre a cultura popular e erudita na época da Inquisição, quando cosmogonias como as formuladas pelo moleiro Menocchio eram motivo de condenação religiosa e moral.

Frequentemente comprados juntos

Companhia de Bolso

O queijo e os vermes

Carlo Ginzburg

R$ 54,90

Companhia de Bolso

Os andarilhos do bem

Carlo Ginzburg

R$ 54,90

Companhia de Bolso

Orientalismo

Edward W. Said

R$ 69,90

Preço total de

R$ 179,70

Adicionar ao carrinho

Você pode gostar também de

Suma

A sombra do vento

Carlos Ruiz Zafón

R$ 84,90

Seguinte

Venha o que vier

Rainbow Rowell

R$ 71,91

Companhia de Bolso

Origens do totalitarismo

Hannah Arendt

R$ 79,90

Seguinte

A traidora do trono

Alwyn Hamilton

R$ 64,90

Seguinte

Coração de tinta

Cornelia Funke

R$ 79,90

Companhia de Bolso

O mundo assombrado pelos demônios

Carl Sagan

R$ 64,90

Companhia das Letras

Formação econômica do Brasil

Celso Furtado

R$ 89,90

Companhia das Letras

A revolução dos bichos

George Orwell

R$ 29,90

Ficha Técnica

Título original: Il formaggio e i vermi - pocket Páginas: 256 Formato: 12.50 X 18.00 cm Peso: 0.216 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 07/04/2006
ISBN: 978-85-3590-810-7 Selo: Companhia de Bolso Ilustração:

SOBRE O LIVRO

Narrando a vida de um obscuro herege do século XVI, Ginzburg escreve uma história envolvente sobre a cultura popular e erudita na época da Inquisição, quando cosmogonias como as formuladas pelo moleiro Menocchio eram motivo de condenação religiosa e moral.

Um obscuro herege do século XVI é resgatado do esquecimento por Carlo Ginzburg em O queijo e os vermes. A partir daí nasce não uma dissertação acadêmica, mas uma das mais apaixonantes histórias sobre a Inquisição e sobre a cultura popular e erudita da época, por meio da vida de Menocchio, o moleiro, e sua espantosa cosmogonia: "[...] tudo era um caos, isto é, terra, ar, fogo e água juntos, e de todo aquele volume se formou uma massa, do mesmo modo como o queijo é feito do leite, e do qual surgem os vermes, e esses foram os anjos..."."O trabalho de reconstrução é brilhante, o estilo extremamente agradável e, ao fim do livro, o leitor que seguiu os passos de Carlo Ginzburg, em seu passeio através da mente labiríntica do moleiro de Friuli, abandonará com pesar a companhia dessa estranha personagem."The New York Review of Books

Sobre o autor