Home | Livros | Companhia das Letras | BAIXO ESPLENDOR
CLIQUE PARA AMPLIAR
Ler um trecho

BAIXO ESPLENDOR

Marçal Aquino

R$ 62,90

/ À vista

Apresentação

O retorno de Marçal Aquino à cena literária, dezesseis anos depois do sucesso de Eu receberia as piores notícias dos seus lindos lábios.

Frequentemente comprados juntos

Companhia das Letras

Baixo esplendor

Marçal Aquino

R$ 62,90

Companhia das Letras

Pequena coreografia do adeus

Aline Bei

R$ 62,90

Companhia das Letras

O som do rugido da onça - Vencedor Jabuti 2022

Micheliny Verunschk

R$ 47,53

Preço total de

R$ 173,33

Adicionar ao carrinho

Você pode gostar também de

Companhia das Letras

A palavra que resta

Stênio Gardel

R$ 62,90

Companhia de Bolso

O queijo e os vermes

Carlo Ginzburg

R$ 44,90

Companhia das Letras

O som do rugido da onça - Vencedor Jabuti 2022

Micheliny Verunschk

R$ 47,53

Seguinte

A traidora do trono

Alwyn Hamilton

R$ 54,90

Suma

A sombra do vento

Carlos Ruiz Zafón

R$ 62,90

Companhia de Bolso

Niketche (Edição de bolso)

Paulina Chiziane

R$ 38,32

Companhia das Letras

Arrancados da terra

Lira Neto

R$ 94,90

Companhia das Letras

Correspondência intelectual

Celso Furtado

R$ 112,90

Quadrinhos na Cia

Grande sertão: veredas (Edição em quadrinhos)

João Guimarães Rosa

R$ 99,90

Indisponível

Ficha Técnica

Páginas: 264 Formato: 14.00 X 21.00 cm Peso: 0.326 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 09/04/2021
ISBN: 978-65-5921-029-9 Selo: Companhia das Letras Capa: Alceu Chiesorin Nunes Ilustração:

SOBRE O LIVRO

O retorno de Marçal Aquino à cena literária, dezesseis anos depois do sucesso de Eu receberia as piores notícias dos seus lindos lábios.

O ano é 1973, um dos períodos mais duros da ditadura militar no Brasil. É num ambiente contaminado pela paranoia que se move Miguel, um agente do setor de Inteligência da polícia civil cuja especialidade é se infiltrar em quadrilhas sob investigação. Numa das operações, ele se aproxima de um grupo de ladrões de carga, tornando-se íntimo de Ingo, o chefe, que não só apadrinha sua entrada no bando como lhe apresenta a irmã, Nádia, com quem Miguel inicia um relacionamento que tem no sexo seu ponto de combustão.
Profissionalmente vaidoso, Miguel acredita que, na hora adequada, não terá dificuldades para romper os laços surgidos durante a operação. Mas as coisas não saem como ele imagina: apaixonado por Nádia, o policial se vê surpreendido por dúvidas sobre de que lado irá ficar quando o cerco se fechar sobre a quadrilha.
Com uma prosa ágil e intensa, Aquino confirma seu nome entre os melhores da ficção brasileira contemporânea. O mundo do crime nunca foi tão sensual quanto em Baixo esplendor.