Home | Livros | Companhia das Letras | ESSA GENTE
CLIQUE PARA AMPLIAR
Ler um trecho

ESSA GENTE

Chico Buarque

R$ 79,90

R$ 71,91

/ À vista

Apresentação

Um escritor decadente enfrenta uma crise financeira e afetiva enquanto o Rio de Janeiro colapsa à sua volta. Tragicomédia urgente, o novo romance de Chico Buarque é a primeira obra literária de vulto a encarar o Brasil do agora.

Frequentemente comprados juntos

Companhia das Letras

Essa gente

Chico Buarque

R$ 71,91

Companhia das Letras

Anos de chumbo e outros contos

Chico Buarque

R$ 71,91

Companhia das Letras

Budapeste

Chico Buarque

R$ 71,91

Preço total de

R$ 215,73

Adicionar ao carrinho

Você pode gostar também de

Alfaguara

Do que eu falo quando falo de corrida

Haruki Murakami

R$ 69,90

Companhia de Bolso

Origens do totalitarismo

Hannah Arendt

R$ 79,90

Seguinte

Venha o que vier

Rainbow Rowell

R$ 71,91

Companhia das Letras

Prólogo, ato, epílogo

Fernanda Montenegro

R$ 79,90

Suma

A sombra do vento

Carlos Ruiz Zafón

R$ 84,90

Companhia das Letras

Pequeno manual antirracista

Djamila Ribeiro

R$ 44,90

Companhia das Letras

A palavra que resta

Stênio Gardel

R$ 59,42

Companhia das Letras

1984 - Edição especial

George Orwell

R$ 134,90

Companhia das Letras

Metrópole à beira-mar

Ruy Castro

R$ 109,90

Fontanar

365 dias de bem-estar

Carolina Chagas

R$ 134,90

Ficha Técnica

Título original: Essa gente Páginas: 200 Formato: 15.50 X 22.50 cm Peso: 0.385 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 09/11/2019
ISBN: 978-85-3593-295-9 Selo: Companhia das Letras Capa: Raul Loureiro Ilustração:

SOBRE O LIVRO

Um escritor decadente enfrenta uma crise financeira e afetiva enquanto o Rio de Janeiro colapsa à sua volta. Tragicomédia urgente, o novo romance de Chico Buarque é a primeira obra literária de vulto a encarar o Brasil do agora.

Há alguns pontos de contato entre Chico Buarque e o protagonista de Essa gente, seu primeiro livro após a consagração do prêmio Camões. O escritor Manuel Duarte tem esse sobrenome de perfil vocálico idêntico, e gosta de bater perna nos arredores do Leblon. Contudo, o leitor logo descobre que isso conduz a um dos muitos becos sem saída da trama.

Autor de um romance histórico que se tornou best-seller nos anos 1990, Duarte passa por um deserto criativo e emocional, tendo por pano de fundo um Rio de Janeiro que sangra e estrebucha sob o flagelo de feridas sociais finalmente supuradas, ostensivas.

Com estrutura de diário, a reflexão sobre a linguagem -- marca da ficção buarquiana -- parte agora do apontamento rápido, artimanha para auxiliar a memória quando for possível dar sentido ao tumulto do presente. Ao seu melhor estilo, Chico Buarque borra as fronteiras entre vida, imaginação, sonho e delírio, e constrói uma narrativa engenhosa, em cujas entrelinhas se descortinam as contradições de um país fraturado.

"A imaginação literária de Chico Buarque é bela e peculiar. Ler sua ficção é sempre um prazer." -- Salman Rushdie



"Com aparente simplicidade, Chico Buarque faz uma enternecedora, ainda que ligeiramente cômica, elegia à solidão, à mágoa, aos mal-entendidos eróticos (e literários) e à nostalgia de todas as coisas não ditas." -- Lila Azam Zanganeh

Sobre o autor