Home | Livros | Companhia das Letras | A PALAVRA QUE RESTA
CLIQUE PARA AMPLIAR
Ler um trecho

A PALAVRA QUE RESTA

Stênio Gardel

R$ 69,90

R$ 59,42

/ À vista

Apresentação

Neste primoroso romance de estreia, acompanhamos a trajetória de Raimundo, homem analfabeto que na juventude teve seu amor secreto brutalmente interrompido e que por cinquenta anos guardou consigo uma carta que nunca pôde ler.

Frequentemente comprados juntos

Companhia das Letras

A palavra que resta

Stênio Gardel

R$ 59,42

Companhia das Letras

O avesso da pele - Vencedor Jabuti 2021

Jeferson Tenório

R$ 63,67

Companhia das Letras

Pequena coreografia do adeus

Aline Bei

R$ 58,41

Preço total de

R$ 181,50

Adicionar ao carrinho

Você pode gostar também de

Companhia das Letras

O som do rugido da onça - Vencedor Jabuti 2022

Micheliny Verunschk

R$ 59,42

Fontanar

365 dias de bem-estar

Carolina Chagas

R$ 134,90

Objetiva

Na minha pele

Lázaro Ramos

R$ 69,90

Alfaguara

Do que eu falo quando falo de corrida

Haruki Murakami

R$ 69,90

Companhia de Bolso

Niketche (Edição de bolso)

Paulina Chiziane

R$ 59,90

Zahar

Um apartamento em Urano

Paul B. Preciado

R$ 72,17

Quadrinhos na Cia

Grande sertão: veredas (Edição em quadrinhos)

João Guimarães Rosa

R$ 129,90

Companhia das Letras

Arrancados da terra

Lira Neto

R$ 94,90

Ficha Técnica

Páginas: 160 Formato: 14.00 X 21.00 cm Peso: 0.194 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 19/04/2021
ISBN: 978-65-5921-028-2 Selo: Companhia das Letras Capa: Alceu Chiesorin Nunes Ilustração:

SOBRE O LIVRO

Neste primoroso romance de estreia, acompanhamos a trajetória de Raimundo, homem analfabeto que na juventude teve seu amor secreto brutalmente interrompido e que por cinquenta anos guardou consigo uma carta que nunca pôde ler.

 * Livro vencedor do National Book Award de melhor obra traduzida de literatura.

Aos 71 anos, Raimundo decide aprender a ler e a escrever. Nascido e criado na roça, não foi à escola, pois cedo precisou ajudar o pai na lida diária. Mas há muito deixou a família e a vida no sertão para trás. Desse tempo, Raimundo guarda apenas a carta que recebeu de Cícero, há mais de cinquenta anos, quando o amor escondido entre os dois foi descoberto. Cícero partiu sem deixar pistas, a não ser aquela carta que Raimundo não sabe ler -- ao menos até agora.
Com uma narrativa sensível e magnética, o escritor cearense Stênio Gardel nos leva pelo passado de Raimundo, permeado de conflitos familiares e da dor do ocultamento de sua sexualidade, mas também das novas relações que estabeleceu depois de fugir de casa e cair na estrada, ressignificando seu destino mais de uma vez.


"A magnitude deste romance está, primeiro, na invenção de um enredo poderoso sobre a dor da exclusão -- a exclusão da miséria, do analfabetismo, da solidão, do preconceito. E se completa com a força da linguagem que molda a história, palavra a palavra, na tradição dos grandes narradores brasileiros." -- Socorro Acioli, autora de A cabeça do santo

Sobre o autor