Home | Livros | Companhia das Letras | TODOS OS NOSSOS ONTENS
CLIQUE PARA AMPLIAR

TODOS OS NOSSOS ONTENS

Natalia Ginzburg
Tradução: Maria Betânia Amoroso

R$ 89,90

/ À vista

Apresentação

Publicado em 1952 e ambientado nos anos do fascismo na Itália, este comovente romance transita entre as miudezas do cotidiano e os grandes eventos que mudam os rumos da História.

Frequentemente comprados juntos

Companhia das Letras

Todos os nossos ontens

Natalia Ginzburg

R$ 89,90

Zahar

Manifesto antimaternalista

Vera Iaconelli

R$ 49,90

Companhia das Letras

Niketche (Nova edição)

Paulina Chiziane

R$ 74,90

Preço total de

R$ 214,70

Adicionar ao carrinho

Você pode gostar também de

Companhia das Letras

As pequenas doenças da eternidade

Mia Couto

R$ 64,90

Alfaguara

Café Majestic

Stéfanie Sande

R$ 64,90

Companhia das Letras

Todas as cosmicômicas (Edição ilustrada)

Italo Calvino

R$ 129,90

Companhia das Letras

Evangelhos apócrifos

Vários autores

R$ 154,90

Zahar

Como os artistas veem o mundo

Will Gompertz

R$ 99,90

Ficha Técnica

Título original: Tutti I Nostri Ieri Páginas: 328 Formato: 14.00 X 21.00 cm Peso: 0.403 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 02/08/2023
ISBN: 978-85-3593-455-7 Selo: Companhia das Letras Capa: Raul Loureiro Ilustração:

SOBRE O LIVRO

Publicado em 1952 e ambientado nos anos do fascismo na Itália, este comovente romance transita entre as miudezas do cotidiano e os grandes eventos que mudam os rumos da História.

Precursor de romances como Léxico familiar e Caro Michele, Todos os nossos ontens se inicia com uma casa, uma rotina, uma família. O tempo passa, o ritmo cotidiano é rompido por mortes, encontros, casamentos, gestações. A cada ruptura, surgem novas rotinas, e então a voz em terceira pessoa se mistura ao olhar de Anna, a caçula, que se surpreende com o modo do hoje virar ontem; parece que uma eternidade separa a vida de antes e a nova que surge.
Não são apenas os nascimentos e as mortes que mudam a percepção do tempo. Até certo ponto, parecia que o fascismo não acabaria nunca, e então começa a se ouvir no rádio sobre a invasão da Polônia, e sobre a linha Maginot, que parecia intransponível. Mas os nazistas a ultrapassam, e num relance a guerra vira parte da vida. Se a destruição faz com que as rotinas durem sempre menos, algum resto de resiliência, inadvertidamente, consegue as reerguer, ainda que cambaleantes. Todos os nossos ontens pertence ao período da luta antifascista, à literatura da Resistência durante a Segunda Guerra Mundial. É um romance notável sobre uma família, sobre a memória. Relações entrecruzadas, políticas e amorosas dão os contornos de mais esta obra magnífica de uma das maiores escritoras italianas de todos os tempos.


"Se existe uma escritora fiel a si mesma, de uma maneira que chega a ser extrema, esta é Natalia." -- Italo Calvino

Sobre o autor