Home | Livros | Objetiva | CAPITALISMO DESTRUTIVO
CLIQUE PARA AMPLIAR

CAPITALISMO DESTRUTIVO

Os radicais do mercado e a ameaça de um mundo sem democracia

Quinn Slobodian
Tradução: Renato Marques

R$ 99,90

/ À vista

Apresentação

Quantos países existem no mundo? A resposta é: cerca de duzentos. Agora pense no ano de 2150. Quantos haverá? Qual futuro o mapa-múndi de hoje sugere?

Você pode gostar também de

Zahar

O Ocidente

Naoíse Mac Sweeney

R$ 119,90

Objetiva

A queda

Michael Wolff

R$ 109,90

Companhia das Letras

Caixa-preta: Escrevendo a raça

Henry Louis Gates Jr.

R$ 84,90

Portfolio-Penguin

Caminhos e descaminhos da estabilização

Affonso Celso Pastore

R$ 99,90

Companhia das Letras

O mito do instinto materno

Chelsea Conaboy

R$ 124,90

Companhia das Letras

Da próxima vez, o fogo

James Baldwin

R$ 69,90

Companhia das Letras

Domingos Sodré, um sacerdote africano (Edição revista e ampliada)

João José Reis

R$ 124,90

Companhia das Letras

O país dos privilégios - Volume 1

Bruno Carazza

R$ 94,90

Ficha Técnica

Título original: Crack Up Capitalism Páginas: 344 Formato: 16.00 X 23.00 cm Peso: 0.529 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 16/07/2024
ISBN: 978-85-3900-811-7 Selo: Objetiva Capa: Eduardo Foresti e Foresti Design Ilustração:

SOBRE O LIVRO

Quantos países existem no mundo? A resposta é: cerca de duzentos. Agora pense no ano de 2150. Quantos haverá? Qual futuro o mapa-múndi de hoje sugere?

* Eleito um dos melhores livros de não ficção de 2023 pela revista Fortune.


A imagem mais conhecida do mapa-múndi, a que é ensinada desde a escola, mostra territórios delimitados por convenções. Cada pedaço de terra com sua própria bandeira, hino, traje e culinária típicas. Mas, como defende o historiador canadense Quinn Slobodian, é um erro ver a divisão do mundo de maneira uniforme e estática.
Dentro de cada país existem nações particulares, territórios anômalos com jurisdições peculiares; existem cidades-Estados, paraísos fiscais, zonas francas e áreas portuárias especiais, parques de alta tecnologia e distritos isentos de tarifas ou impostos. O mundo das nações está apinhado de zonas -- e elas definem e redefinem a política vigente.
Em onze capítulos envolventes, Slobodian narra a história por trás da ascensão de Canary Wharf, o moderno centro financeiro de Londres; da construção de Dubai no meio do deserto; e da exportação do modelo de Cingapura como exemplo de inovação global. Também mostra como Hong Kong tornou-se piloto para experimentos antidemocráticos em vários países. Examina as raízes históricas de Liechtenstein, o principado entre a Áustria e a Suíça que se tornou um paraíso fiscal quando ainda não se falava nisso.
Por trás de muitos desses enclaves, reside uma teoria econômica pautada nos valores do neoliberalismo do pós-guerra. Para os teóricos, bilionários e investidores mais radicais, o sucesso dessas zonas só se fortalece com a destruição da democracia. Longe de serem exceções, Slobodian nos mostra que esses enclaves constituem um poderoso projeto político-econômico e podem influenciar o capitalismo e as sociedades de uma forma que ainda não conseguimos compreender totalmente.


 "Slobodian identifica um fenômeno que precisa ser desmascarado." -- The Guardian

Sobre o autor