Home | Livros | Zahar | O OCIDENTE
CLIQUE PARA AMPLIAR

O OCIDENTE

Uma nova história em catorze vidas

Naoíse Mac Sweeney
Tradução: Denise Bottmann

R$ 119,90

/ À vista
ou em até 2x no crédito de R$ 59,95

Apresentação

O que está em jogo quando a estátua de Borba Gato é incendiada em São Paulo ou quando a estátua de um traficante escravista é jogada num rio na Inglaterra? Mac Sweeney discute como o Ocidente é uma invenção poderosa e ideológica que sustentou o imperialismo e a supremacia branca.

Frequentemente comprados juntos

Zahar

O Ocidente

Naoíse Mac Sweeney

R$ 119,90

Companhia das Letras

Imagens da branquitude (autografado)

Lilia Moritz Schwarcz

R$ 99,90

Companhia das Letras

A forma difícil

Rodrigo Naves

R$ 89,90

Preço total de

R$ 309,70

Adicionar ao carrinho

Você pode gostar também de

Objetiva

Capitalismo destrutivo

Quinn Slobodian

R$ 99,90

Penguin-Companhia

Novelas exemplares

Miguel de Cervantes

R$ 89,90

Companhia das Letras

Caixa-preta: Escrevendo a raça

Henry Louis Gates Jr.

R$ 84,90

Companhia das Letras

Da próxima vez, o fogo

James Baldwin

R$ 69,90

Companhia das Letras

O mito do instinto materno

Chelsea Conaboy

R$ 124,90

Companhia das Letras

Domingos Sodré, um sacerdote africano (Edição revista e ampliada)

João José Reis

R$ 124,90

Objetiva

A queda

Michael Wolff

R$ 109,90

Ficha Técnica

Título original: The West Páginas: 408 Formato: 16.00 X 23.00 cm Peso: 0.622 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 16/07/2024
ISBN: 978-65-5979-169-9 Selo: Zahar Capa: Alceu Chiesorin Nunes Ilustração:

SOBRE O LIVRO

O que está em jogo quando a estátua de Borba Gato é incendiada em São Paulo ou quando a estátua de um traficante escravista é jogada num rio na Inglaterra? Mac Sweeney discute como o Ocidente é uma invenção poderosa e ideológica que sustentou o imperialismo e a supremacia branca.

Que outra história do Ocidente poderia ser construída se a rainha Njinga de Angola, a poeta escravizada Phillis Wheatley e o intelectual palestino Edward Said fossem vistos como figuras relevantes na história da civilização ocidental? Ao descentralizar o papel da Europa, a autora desafia essa versão já conhecida e desconstrói a história hegemônica do Ocidente, jogando luz em importantes personagens históricos que foram escanteados por todo este tempo.
A autora apresenta catorze perfis que oferecem um retrato multifacetado do passado e escancaram o mito do Ocidente. Ela desenvolve um percurso analítico, mostrando ao leitor como o passado sempre foi habitado por múltiplas vozes, em que o legado da antiguidade greco-romana passou por disputas, apropriações e intercâmbios por povos não europeus, mas que foram invisibilizados em prol da invenção de um Ocidente coeso e branco.
Assim, Mac Sweeney nos convida a ampliar nosso olhar sobre o passado, pois não é possível transformar o presente sem desmontar a "narrativa grandiosa da Civilização Ocidental", cuja grandeza se deu às custas do sangue e do pensamento daqueles que foram historicamente marginalizados.


"Precisamos nos livrar da narrativa grandiosa da Civilização Ocidental, deixando-a definitivamente de lado por ser incorreta nos fatos e ultrapassada na ideologia. Trata-se de um mito de origem que não atende mais à finalidade -- não fornece uma apresentação acurada da história Ocidental, nem uma base ideologicamente aceitável para a identidade Ocidental."


"Mac Sweeney argumenta que as bases do Ocidente são menos estáveis do que tendemos a acreditar. Seus perfis apresentam uma série de contrapontos muito interessantes." -- The Washington Post

Sobre o autor