Home | Livros | Companhia das Letras | RITMO HUMANEGRÍTICO
CLIQUE PARA AMPLIAR

RITMO HUMANEGRÍTICO

Antologia poética

Cuti

R$ 89,90

/ À vista

Apresentação

Humana, negra, crítica. São estas as características que percorrem a produção do escritor Cuti -- uma das vozes mais brilhantes e originais da literatura brasileira -- e as páginas desta antologia, que nos provoca e sensibiliza sobre o momento presente. De um dos fundadores dos Cadernos Negros, com texto de orelha de Maria Nazareth Soares Fonseca.

Você pode gostar também de

Companhia das Letras

Da próxima vez, o fogo

James Baldwin

R$ 69,90

Companhia das Letras

Vento em setembro

Tony Bellotto

R$ 94,90

Zahar

O Ocidente

Naoíse Mac Sweeney

R$ 119,90

Companhia das Letras

Caixa-preta: Escrevendo a raça

Henry Louis Gates Jr.

R$ 84,90

Companhia das Letras

Americanah (Edição comemorativa de 10 anos)

Chimamanda Ngozi Adichie

R$ 129,90

Penguin-Companhia

Novelas exemplares

Miguel de Cervantes

R$ 89,90

Objetiva

Capitalismo destrutivo

Quinn Slobodian

R$ 99,90

Ficha Técnica

Páginas: 272 Formato: 14.00 X 21.00 cm Peso: 0.338 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 16/07/2024
ISBN: 978-85-3593-786-2 Selo: Companhia das Letras Capa: Oga Mendonça Ilustração:

SOBRE O LIVRO

Humana, negra, crítica. São estas as características que percorrem a produção do escritor Cuti -- uma das vozes mais brilhantes e originais da literatura brasileira -- e as páginas desta antologia, que nos provoca e sensibiliza sobre o momento presente. De um dos fundadores dos Cadernos Negros, com texto de orelha de Maria Nazareth Soares Fonseca.

Ritmo é elemento primordial na obra de Luiz Silva, o Cuti. Nesta antologia, o poeta eleva essa característica a um patamar que, ao convergir sonoridade e movimento, se coloca diante do leitor como uma pista de dança. O convite é para que se escute o potente reverberar de seus versos e se comova com a minuciosa cadência das palavras, o tempo das rimas, o deslocamento das páginas.
Toda essa agitação compõe um bailado impetuoso, conduzindo o leitor por temas críticos como o avanço do ódio no mundo, o racismo, a influência nociva das novas tecnologias na sociedade, ao mesmo tempo em que trata de amor, de identidade e da necessidade incontornável de esperança.
Poeta, dramaturgo e um dos mais influentes intelectuais da literatura e do movimento negro brasileiro, Cuti reúne em Ritmo humanegrítico poemas já publicados e inéditos para delinear os horizontes de sua produção literária, iniciada ainda em 1970: "não é ser negro/ nem ter sido o esteio do mundo/ mas o titubeio do branco/ em me aceitar/ como igualmente humano".

Sobre o autor