Home | Livros | Penguin-Companhia | O CORCUNDA DE NOTRE-DAME
CLIQUE PARA AMPLIAR
Ler um trecho

O CORCUNDA DE NOTRE-DAME

Victor Hugo
Tradução: Eduardo Brandão

R$ 67,90

R$ 54,32

/ À vista

Apresentação

Um clássico romântico sobre paixões sombrias e amores não correspondidos.

Frequentemente comprados juntos

Penguin-Companhia

O corcunda de Notre-Dame

Victor Hugo

R$ 54,32

Penguin-Companhia

Drácula

Bram Stoker

R$ 57,90

Penguin-Companhia

David Copperfield

Charles Dickens

R$ 62,32

Preço total de

R$ 174,54

Adicionar ao carrinho

Você pode gostar também de

Penguin-Companhia

Os miseráveis

Victor Hugo

R$ 119,90

Penguin-Companhia

David Copperfield

Charles Dickens

R$ 62,32

Penguin-Companhia

O vermelho e o negro

Stendhal

R$ 67,90

Penguin-Companhia

Grandes esperanças

Charles Dickens

R$ 62,90

Indisponível

Penguin-Companhia

O eterno marido

Fiódor Dostoiévski

R$ 44,90

Indisponível

Penguin-Companhia

Os 120 dias de Sodoma

Marquês de Sade

R$ 49,90

Ficha Técnica

Título original: O Corcunda de Notre Dame Páginas: 680 Formato: 13.00 X 20.00 cm Peso: 0.692 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 05/11/2018
ISBN: 978-85-8285-080-0 Selo: Penguin-Companhia Ilustração:

SOBRE O LIVRO

Um clássico romântico sobre paixões sombrias e amores não correspondidos.

Adaptado inúmeras vezes para as telas e os palcos, este drama medieval de Victor Hugo conta a história da bela Esmeralda, uma cigana adorada por três homens: o arquidiácono Frollo, o corcunda Quasímodo e o capitão Phoebus. Falsamente acusada de tentar matar Phoebus, que quase a violentou, Esmeralda é sentenciada à morte, e salva da forca por Quasímodo, que a defende até o fim.
Para além da questão amorosa, descortina-se uma série de tragédias que falam sobre revolução e luta social, sobre amor e perda, sobre destino e livre arbítrio, protagonizadas por personagens que vão desde o rei da França até os mendigos nos esgotos de Paris. E, no centro de tudo, a grande e onipresente Catedral de Notre-Dame.
O volume inclui uma introdução de John Sturrock, que apresenta o livro como uma história de ideias apaixonadas, escrita em defesa da arquitetura gótica e da democracia, demonstrando que um exterior repulsivo pode esconder uma grande beleza moral.

Sobre o autor