Home | Livros | Clássicos Zahar | MULHERZINHAS: EDIÇÃO BOLSO DE LUXO
CLIQUE PARA AMPLIAR

MULHERZINHAS: EDIÇÃO BOLSO DE LUXO

Louisa May Alcott
Tradução: Bruno Gambarotto

R$ 69,90

/ À vista

Apresentação

Uma das histórias mais queridas da literatura norte-americana, a jornada de formação das irmãs March encanta e conquista novas leitoras e leitores desde o seu lançamento.

Frequentemente comprados juntos

Clássicos Zahar

Mulherzinhas: edição bolso de luxo

Louisa May Alcott

R$ 69,90

Clássicos Zahar

Os Maias: edição bolso de luxo

Eça de Queirós

R$ 79,90

Clássicos Zahar

Os três mosqueteiros: edição bolso de luxo

Alexandre Dumas

R$ 89,90

Preço total de

R$ 239,70

Adicionar ao carrinho

Você pode gostar também de

Clássicos Zahar

Mulherzinhas: edição comentada e ilustrada

Louisa May Alcott

R$ 89,90

Clássicos Zahar

Orgulho e preconceito: edição comentada

Jane Austen

R$ 89,90

Clássicos Zahar

Memórias póstumas de Brás Cubas: edição bolso de luxo

Machado de Assis

R$ 50,92

Clássicos Zahar

Viagens de Gulliver: edição comentada

Jonathan Swift

R$ 99,90

Clássicos Zahar

Até o último fantasma: edição bolso de luxo

Henry James

R$ 59,90

Zahar

Manifesto antimaternalista

Vera Iaconelli

R$ 59,90

Clássicos Zahar

Os Maias: edição bolso de luxo

Eça de Queirós

R$ 79,90

Objetiva

O ciclo da vida

Russell Foster

R$ 119,90

Clássicos Zahar

Moby Dick: edição comentada

Herman Melville

R$ 149,90

Ficha Técnica

Páginas: 800 Formato: 12.60 X 17.60 cm Peso: 0.675 kg Acabamento: Livro capa dura Lançamento: 12/09/2023
ISBN: 978-65-8495-208-9 Selo: Clássicos Zahar Capa: Rafael Nobre Ilustração:

SOBRE O LIVRO

Uma das histórias mais queridas da literatura norte-americana, a jornada de formação das irmãs March encanta e conquista novas leitoras e leitores desde o seu lançamento.

Ao usar como inspiração suas próprias experiências e as de sua família empobrecida da Nova Inglaterra do século XIX, Louisa May Alcott escreveu um livro que ressoa fortemente vida, espírito e afeto -- uma obra "simples e verdadeira", em suas palavras. Assim, do primeiro Natal sem o pai, que luta na Guerra Civil pela União, até a vida adulta, acompanhamos o amadurecimento de Meg, Jo, Beth e Amy March e crescemos junto com suas conquistas, angústias, alegrias e desgostos.
Publicado em 1868, Mulherzinhas foi pioneiro ao retratar meninas e jovens mulheres corajosas, cheias de vida e com ideias próprias. Com sensibilidade e graça, mostra a força que um ambiente familiar democrático, saudável e sem falsos moralismos exerce no diálogo e na defesa de valores até hoje fundamentais para a sociedade, como igualdade de gênero, liberdade de pensamento, dignidade e amor.

Sobre o autor