Home | Livros | Clássicos Zahar | VIAGENS DE GULLIVER: EDIÇÃO COMENTADA
CLIQUE PARA AMPLIAR

VIAGENS DE GULLIVER: EDIÇÃO COMENTADA

Jonathan Swift
Tradução: José Roberto O'Shea

R$ 99,90

R$ 69,93

/ À vista

Apresentação

Um clássico absoluto que oferece caminhos diversos de leitura e interpretação, da sátira pura à análise política e à reflexão filosófica sobre a nossa existência.

Frequentemente comprados juntos

Clássicos Zahar

Viagens de Gulliver: edição comentada

Jonathan Swift

R$ 69,93

Clássicos Zahar

O corcunda de Notre Dame: edição comentada e ilustrada

Victor Hugo

R$ 69,93

Clássicos Zahar

O morro dos ventos uivantes: edição comentada

Emily Brontë

R$ 69,93

Preço total de

R$ 209,79

Adicionar ao carrinho

Você pode gostar também de

Penguin-Companhia

Essencial Roberto Schwarz

Roberto Schwarz

R$ 69,90

Clássicos Zahar

Moby Dick: edição comentada

Herman Melville

R$ 104,93

Clássicos Zahar

Orgulho e preconceito: edição comentada

Jane Austen

R$ 62,93

Clássicos Zahar

As aventuras de Tom Sawyer: edição comentada e ilustrada

MARK TWAIN

R$ 62,93

Clássicos Zahar

Mulherzinhas: edição bolso de luxo

Louisa May Alcott

R$ 48,93

Seguinte

O mundo de Sofia em quadrinhos (vol. 1)

Jostein Gaarder

R$ 99,90

Clássicos Zahar

Mitos gregos I: edição ilustrada

Nathaniel Hawthorne

R$ 48,93

Clássicos Zahar

O corcunda de Notre Dame: edição comentada e ilustrada

Victor Hugo

R$ 69,93

Clássicos Zahar

A Ilha do Tesouro: edição comentada e ilustrada

Robert Louis Stevenson

R$ 55,93

Clássicos Zahar

O morro dos ventos uivantes: edição comentada

Emily Brontë

R$ 69,93

Ficha Técnica

Páginas: 352 Formato: 16.40 X 23.60 cm Peso: 0.678 kg Acabamento: Livro capa dura Lançamento: 20/11/2023
ISBN: 978-65-8495-210-2 Selo: Clássicos Zahar Capa: Rafael Nobre Ilustração:

SOBRE O LIVRO

Um clássico absoluto que oferece caminhos diversos de leitura e interpretação, da sátira pura à análise política e à reflexão filosófica sobre a nossa existência.

Uma das grandes sátiras da literatura de língua inglesa, Viagens de Gulliver vai muito além do imaginário criado sobre o explorador que se descobre gigante em meio aos diminutos liliputianos.
Parodiando os relatos de viagem em voga na época, Jonathan Swift constrói uma narrativa especular e corrosiva que usa o sarcasmo de modo genial para fazer uma crítica feroz à Inglaterra, à monarquia, ao progresso, à ciência e ao olhar arrogante do colonizador. Como um etnógrafo aprendiz que esquadrinha culturas consideradas primitivas, Gulliver enxerga nelas apenas a manifestação do selvagem, do inferior, até perceber as contradições e desumanidades da sociedade dita moderna, tão ou mais primitiva que as outras.
Divertida, amarga e irônica, a obra maior de Swift é um tratado ácido sobre a civilização humana, suas relações e instituições marcadas pela hipocrisia, pelo preconceito e pela ganância.

Sobre o autor