Home | Livros | Companhia de Bolso | DOENÇA COMO METÁFORA / AIDS E SUAS METÁFORAS
CLIQUE PARA AMPLIAR
Ler um trecho

DOENÇA COMO METÁFORA / AIDS E SUAS METÁFORAS

Susan Sontag
Tradução: Paulo Henriques Britto e Rubens Figueiredo

R$ 34,90

/ À vista

Apresentação

Nestes ensaios, Sontag realiza profunda investigação dos significados atribuídos a doenças centrais do mundo moderno, em especial o câncer e a AIDS, ajudando a demolir as interpretações apocalípticas e a dissipar a névoa irracionalista que dificulta a compreensão dessas doenças.

Frequentemente comprados juntos

Companhia de Bolso

Doença como metáfora / Aids e suas metáforas

Susan Sontag

R$ 34,90

Companhia das Letras

Diante da dor dos outros

Susan Sontag

R$ 54,90

Companhia das Letras

Sob o signo de Saturno

Susan Sontag

R$ 74,90

Preço total de

R$ 164,70

Adicionar ao carrinho

Você pode gostar também de

Companhia das Letras

Diante da dor dos outros

Susan Sontag

R$ 54,90

Indisponível

Companhia de Bolso

A vontade radical

Susan Sontag

R$ 44,90

Companhia das Letras

Sobre fotografia

Susan Sontag

R$ 72,90

Indisponível

Companhia de Bolso

Questão de ênfase

Susan Sontag

R$ 52,90

Companhia das Letras

Sob o signo de Saturno

Susan Sontag

R$ 74,90

Companhia das Letras

Contra a interpretação

Susan Sontag

R$ 87,90

Companhia das Letras

Questão de ênfase

Susan Sontag

R$ 92,90

Indisponível

Companhia de Bolso

Uma história da leitura

Alberto Manguel

R$ 57,90

Companhia das Letras

Diários (1947-1963)

Susan Sontag

R$ 74,90

Indisponível

Ficha Técnica

Título original: Aids as a metaphor / illness as a metaphor (pocket) Páginas: 168 Formato: 12.50 X 18.00 cm Peso: 0.148 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 04/04/2007
ISBN: 978-85-3590-998-2 Selo: Companhia de Bolso Ilustração:

SOBRE O LIVRO

Nestes ensaios, Sontag realiza profunda investigação dos significados atribuídos a doenças centrais do mundo moderno, em especial o câncer e a AIDS, ajudando a demolir as interpretações apocalípticas e a dissipar a névoa irracionalista que dificulta a compreensão dessas doenças.

Diagnosticada nos anos 70 como portadora de câncer, Susan Sontag, uma das intelectuais mais influentes e polêmicas de nossa época, mergulhou no estudo da doença para compreender suas metáforas em nossa cultura. O resultado dessa reflexão é o célebre ensaio Doença como metáfora, de 1978. Uma década depois, quando o mundo assistia perplexo e desorientado ao crescimento de uma doença fatal ainda pouco compreendida - a AIDS -, as metáforas associadas à síndrome levaram Sontag a atualizar e aprofundar sua reflexão sobre o imaginário em torno das doenças. Assim nasceu, em 1988, o igualmente clássico ensaio Aids e suas metáforas. Nos dois textos, que podem ser vistos como um único estudo dividido em duas partes, o objetivo é dissipar a névoa de irracionalismo pré-científico que cerca a compreensão dessas doenças e libertar suas vítimas do peso de uma injustificável culpa.

Sobre o autor