Home | Livros | Companhia das Letras | BRASIL EM TEMPO DE CINEMA
CLIQUE PARA AMPLIAR
Ler um trecho

BRASIL EM TEMPO DE CINEMA

Jean-Claude Bernardet

R$ 62,90

/ À vista

Apresentação

Quatro décadas depois de escrito, este clássico da crítica cinematográfica conserva intactas sua potência e atualidade. Produzido no calor da hora, Brasil em tempo de cinema é a análise ambiciosa de uma cinematografia às voltas com um país em rápida transformação.

Frequentemente comprados juntos

Companhia das Letras

Brasil em tempo de cinema

Jean-Claude Bernardet

R$ 62,90

Companhia de Bolso

Cinema brasileiro

Jean-Claude Bernardet

R$ 49,90

Companhia das Letras

A odisseia do cinema brasileiro

Laurent Desbois

R$ 114,90

Preço total de

R$ 227,70

Adicionar ao carrinho

Você pode gostar também de

Ficha Técnica

Título original: Brasil em tempo de cinema Páginas: 240 Formato: 14.00 X 21.00 cm Peso: 0.308 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 03/05/2007
ISBN: 978-85-3591-017-9 Selo: Companhia das Letras Ilustração:

SOBRE O LIVRO

Quatro décadas depois de escrito, este clássico da crítica cinematográfica conserva intactas sua potência e atualidade. Produzido no calor da hora, Brasil em tempo de cinema é a análise ambiciosa de uma cinematografia às voltas com um país em rápida transformação.

Em Brasil em tempo de cinema, Jean-Claude Bernardet faz a interpretação crítica dos filmes realizados no Brasil entre 1958 e 1966, época do surgimento e da consolidação do Cinema Novo. Mas sua reflexão não se limita ao movimento liderado por Glauber Rocha. Seu leque abrange desde a suposta sofisticação de um Walter Hugo Khouri até o suposto primitivismo de um José Mojica Marins. O autor se empenha em mostrar as conexões entre filmes aparentemente díspares e o modo como eles se relacionam com o país em transformação.
O eixo da análise de Bernardet é o papel ambíguo e oscilante da classe média brasileira, dividida entre a simpatia pelo proletariado e a subserviência à elite, entre a apatia e o desejo de mudança, entre a revolta estéril e o sonho de ascensão social.
Quatro décadas depois de escrito, este ensaio, saudado em sua época por Paulo Emílio Salles Gomes e Otto Maria Carpeaux (em textos incluídos no livro), mantém intacta sua atualidade e ajuda a iluminar os impasses do cinema que se produz hoje no país.
Esta edição traz um depoimento de Eduardo Coutinho, em que o cineasta fala de sua relação com a obra crítica de Jean-Claude Bernardet, e um prefácio de Carlos Augusto Calil, analisando a importância de Brasil em tempo de cinema a partir de um olhar contemporâneo.

Sobre o autor