Home | Livros | Companhia das Letras | CENAS DA VIDA NA ALDEIA
CLIQUE PARA AMPLIAR
Ler um trecho

CENAS DA VIDA NA ALDEIA

Amós Oz
Tradução: Paulo Geiger

R$ 69,90

R$ 59,42

/ À vista

Apresentação

Em Cenas da vida na aldeia, Amós Oz mais uma vez se atém à simplicidade das pessoas, dos acontecimentos, das paisagens corriqueiras que se repetem e se cruzam para, a partir deles, abrir diante do leitor a cortina de outro mundo possível.

Frequentemente comprados juntos

Companhia das Letras

Cenas da vida na aldeia

Amós Oz

R$ 59,42

Companhia das Letras

Os judeus e as palavras

Amós Oz e Fania Oz-Salzberger

R$ 79,90

Companhia das Letras

Da arte das armadilhas

Ana Martins Marques

R$ 59,90

Preço total de

R$ 199,22

Adicionar ao carrinho

Você pode gostar também de

Companhia das Letras

O monte do mau conselho

Amós Oz

R$ 67,92

Companhia das Letras

Rimas da vida e da morte

Amós Oz

R$ 64,90

Indisponível

Companhia das Letras

Pantera no porão

Amós Oz

R$ 59,42

Companhia das Letras

De amor e trevas

Amós Oz

R$ 93,42

Companhia das Letras

Os judeus e as palavras

Amós Oz Fania Oz-Salzberger

R$ 79,90

Indisponível

Companhia das Letras

Não diga noite

Amós Oz

R$ 67,92

Seguinte

De repente nas profundezas do bosque

Amós Oz

R$ 55,17

Ficha Técnica

Título original: Scenes from village life Páginas: 184 Formato: 14.00 X 21.00 cm Peso: 0.274 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 16/10/2009
ISBN: 978-85-3591-541-9 Selo: Companhia das Letras Ilustração:

SOBRE O LIVRO

Em Cenas da vida na aldeia, Amós Oz mais uma vez se atém à simplicidade das pessoas, dos acontecimentos, das paisagens corriqueiras que se repetem e se cruzam para, a partir deles, abrir diante do leitor a cortina de outro mundo possível.

Em uma aldeia centenária - o que em Israel significa quase pré-histórica -, entre o fim do verão e o início do inverno, histórias diferentes se desenrolam paralelas, enquanto seus protagonistas se cruzam transversalmente como figurantes em histórias alheias.
No cenário, recorrentes ciprestes esguios e escuros, a beleza campestre de uma Toscana israelense, o tórrido calor das tardes de verão, as primeiras chuvas e tempestades do inverno, chacais e cães em duelo orfeônico nas noites, as mesmas ruas, as mesmas praças, os mesmos pontos de referência, plácidos em sua imobilidade de guardiães de rotinas cotidianas, de doces e amargas reminiscências, do amor e do desespero, de mistérios, de personagens surpreendentes e efêmeros que surgem do nada e nele desaparecem, ou de pessoas com raízes firmes que somem sem deixar rastro. O trivial e o insólito se cruzam tal como os personagens, eles mesmos testemunhas da aventura do viver.