CLIQUE PARA AMPLIAR
Ler um trecho

HITLER

Ian Kershaw
Tradução: Pedro Maia Soares
Previsão de reimpressão: 03/2024

Apresentação

Considerada pela imprensa internacional a biografia definitiva do ditador alemão, Hitler, do historiador inglês Ian Kershaw, alia fluência narrativa e rigor histórico para contar a vida da personalidade mais sinistra do século XX.

Frequentemente comprados juntos

Companhia das Letras

Hitler

Ian Kershaw

R$ 119,90

Companhia das Letras

Getúlio 3 (1945-1954)

Lira Neto

R$ 72,90

Companhia das Letras

Getúlio 1 (1882-1930)

Lira Neto

R$ 77,90

Preço total de

R$ 270,70

Adicionar ao carrinho

Você pode gostar também de

Companhia das Letras

De volta do inferno

Ian Kershaw

R$ 99,90

Companhia das Letras

O fim do terceiro reich

Ian Kershaw

R$ 97,90

Companhia das Letras

Dez decisões que mudaram o mundo

Ian Kershaw

R$ 94,90

Indisponível

Companhia das Letras

Getúlio 1 (1882-1930)

Lira Neto

R$ 77,90

Companhia das Letras

Getúlio 3 (1945-1954)

Lira Neto

R$ 72,90

Companhia das Letras

Meninos de Zinco

Svetlana Aleksiévitch

R$ 67,90

Indisponível

Objetiva

Joseph Goebbels

Peter Longerich

R$ 109,90

Ficha Técnica

Título original: Hitler Páginas: 1160 Formato: 16.10 X 23.60 cm Peso: 1.645 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 17/11/2010
ISBN: 978-85-3591-758-1 Selo: Companhia das Letras Ilustração:

SOBRE O LIVRO

Considerada pela imprensa internacional a biografia definitiva do ditador alemão, Hitler, do historiador inglês Ian Kershaw, alia fluência narrativa e rigor histórico para contar a vida da personalidade mais sinistra do século XX.

Quando foram publicados, em 1998 e 2000, os dois volumes da monumental biografia de Hitler escrita por Ian Kershaw foram imediatamente saudados em todo o mundo como obras fundamentais sobre a figura mais sinistra da história do século XX. A presente tradução foi realizada a partir da versão condensada elaborada pelo autor, que eliminou cerca de quatrocentas páginas de notas e referências - destinadas sobretudo ao público acadêmico -, sem no entanto prejudicar a força da narrativa e o poder de seu argumento.
Kershaw escreve baseado na farta documentação já conhecida e em novas fontes, como o surpreendente diário de Goebbels, redescoberto no início da década de 1990, que traz revelações mais íntimas sobre as atitudes, as hesitações e o comportamento de Hitler no poder. A trajetória inteira desse indivíduo que parecia destinado ao fracasso e que acabou na direção de um dos países mais desenvolvidos, cultos e complexos da Europa é esmiuçada pelo autor, em busca de uma explicação para essa incrível trajetória ascendente, para o domínio que Hitler exerceu sobre as elites alemãs e para a catástrofe que causou em seu país e no resto do mundo.
Sem desprezar os traços de personalidade do ditador na explicação da história, o autor enfatiza os aspectos sociais, políticos e econômicos da sociedade alemã traumatizada pela derrota na Primeira Guerra, a instabilidade política, a miséria econômica e a crise cultural. E, em vários momentos, Kershaw permite-se fazer exercícios contrafactuais, perguntando-se como tudo poderia ter sido diferente se, por exemplo, a elite conservadora alemã tivesse se comportado de outra maneira, ou se as potências ocidentais não tivessem hesitado tanto, ou mesmo se Hitler simplesmente não tivesse tido tanta sorte (sua sobrevivência a vários atentados, por exemplo, se deveu muitas vezes ao acaso).
De um lado, o autor evita as simplificações de alguns críticos do nazismo, mas por outro contesta, utilizando para isso um exame detalhadíssimo de documentos e eventos, as teorias revisionistas que tentam "absolver" Hitler do Holocausto. Ele mostra que, de fato, não existe uma ordem escrita por Hitler para a execução da "solução final para a questão judaica", mas isso não o isenta da responsabilidade pelo extermínio de milhões de judeus, pois, além de estimular verbalmente essa "aniquilação" (palavra que usava com prodigalidade), ele estava perfeitamente a par do que se passava nos campos de concentração ("Não faço nada que o Führer não saiba", disse o carrasco-mor Himmler).
Em suma, trata-se da biografia mais completa e abrangente do homem que levou o racismo, o desprezo pela vida humana, a insensatez política e o desvario militar a extremos tais que o romancista Norman Mailer chegou a ver nele a pura encarnação do demônio.

"Supera todos os relatos anteriores. É o tipo de biografia magistral que somente um historiador de primeira linha é capaz de escrever." - The Observer

"Quem quiser entender o Terceiro Reich deve ler Kershaw, pois ninguém fez mais do que ele para desnudar a psique mórbida de Hitler." - Sunday Telegraph

"Será a biografia clássica de Hitler para o nosso tempo." - The New York Review of Books

Sobre o autor