Home | Livros | Companhia das Letras | AMSTERDAM
CLIQUE PARA AMPLIAR
Ler um trecho

AMSTERDAM

Ian McEwan
Tradução: Jorio Dauster

R$ 69,90

/ À vista

Apresentação

Vencedor do Booker Prize em 1998, Amsterdam é uma fábula moral sobre dois amigos que denuncia a vaidade e a busca pela fama a qualquer preço.

Frequentemente comprados juntos

Companhia das Letras

Amsterdam

Ian McEwan

R$ 69,90

Companhia das Letras

A criança no tempo

Ian McEwan

R$ 79,90

Companhia das Letras

Reparação

Ian McEwan

R$ 99,90

Preço total de

R$ 249,70

Adicionar ao carrinho

Você pode gostar também de

Companhia das Letras

A balada de Adam Henry

Ian McEwan

R$ 69,90

Indisponível

Companhia das Letras

Serena

Ian McEwan

R$ 79,90

Indisponível

Companhia das Letras

Reparação

Ian McEwan

R$ 99,90

Indisponível

Companhia das Letras

A criança no tempo

Ian McEwan

R$ 79,90

Companhia das Letras

Amor sem fim

Ian McEwan

R$ 79,90

Indisponível

Companhia de Bolso

Sábado

Ian McEwan

R$ 59,90

Indisponível

Companhia das Letras

Máquinas como eu

Ian McEwan

R$ 79,90

Companhia das Letras

Enclausurado

Ian McEwan

R$ 69,90

Indisponível

Companhia das Letras

Meu livro violeta

Ian McEwan

R$ 59,90

Companhia de Bolso

O jardim de cimento

Ian McEwan

R$ 49,90

Indisponível

Ficha Técnica

Título original: Amsterdam Páginas: 192 Formato: 14.00 X 21.00 cm Peso: 0.247 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 12/06/2012
ISBN: 978-85-3592-112-0 Selo: Companhia das Letras Ilustração:

SOBRE O LIVRO

Vencedor do Booker Prize em 1998, Amsterdam é uma fábula moral sobre dois amigos que denuncia a vaidade e a busca pela fama a qualquer preço.

Com Amsterdam, Ian McEwan passou a ser reconhecido como um dos grandes nomes da literatura inglesa contemporânea. O livro, premiado com o Booker Prize em 1998, o mais importante prêmio recebido pelo autor, marca seu aprofundamento naquilo que é sua marca registrada: thrillers em que as escolhas dos personagens revelam seu verdadeiro caráter e constroem uma crítica social.
A trama consiste de uma fábula moral sobre dois amigos: Clive Linley, compositor de música erudita, e Vernon Halliday, jornalista. Ambos estão em momentos cruciais de suas vidas. Clive precisa concluir uma sinfonia para a virada do milênio que, espera, irá consagrá-lo. Vernon é editor do importante, mas decadente, jornal The Judge. Após o funeral de Molly Lane, ex-amante de ambos que sofreu longo e humilhante declínio mental antes de morrer, os dois fazem um pacto: caso um deles venha a padecer da mesma agonia, o outro deve libertá-lo, facilitando a eutanásia.
São muitos os temas polêmicos aqui presentes, como o aquecimento global e o papel da Inglaterra na Europa. Sem Amsterdam, já revelou McEwan, não haveria Reparação, seu consagrado romance seguinte. Em um complexo exercício criativo, o autor denuncia a vaidade e a busca pela fama a qualquer preço.


"Um tour de force sombrio e perfeitamente realizado." - The New York Times

"Ian McEwan prova ser uma das vozes mais distintas e um dos talentos mais versáteis da língua inglesa. Soturno e divertido." - Chicago Tribune

Sobre o autor