Home | Livros | Companhia das Letras | SER REPUBLICANO NO BRASIL COLÔNIA
CLIQUE PARA AMPLIAR
Ler um trecho

SER REPUBLICANO NO BRASIL COLÔNIA

A história de uma tradição esquecida

Heloisa Murgel Starling

R$ 82,90

/ À vista

Apresentação

Heloisa Starling investiga o ideário republicano na Colônia em torno dos conceitos de igualdade, liberdade e cidadania, com foco na Inconfidência Mineira, na Conjuração Baiana e outros momentos críticos de efervescência política anteriores à Independência.

Frequentemente comprados juntos

Companhia das Letras

Ser republicano no Brasil colônia

Heloisa Murgel Starling

R$ 82,90

Companhia das Letras

Os reis taumaturgos (2ª edição)

Marc Bloch

R$ 109,90

Companhia das Letras

O sequestro da Independência

Carlos Lima Junior, Lilia Moritz Schwarcz e Lúcia Klück Stumpf

R$ 99,90

Preço total de

R$ 292,70

Adicionar ao carrinho

Você pode gostar também de

Companhia das Letras

Brasil: uma biografia

Lilia Moritz Schwarcz Heloisa Murgel Starling

R$ 92,90

Indisponível

Companhia das Letras

Dicionário da escravidão e liberdade

Lilia Moritz Schwarcz Flávio dos Santos Gomes

R$ 87,90

Companhia das Letras

O lulismo em crise

André Singer

R$ 72,90

Companhia das Letras

Presidencialismo de coalizão

Sérgio Abranches

R$ 82,90

Indisponível

Companhia das Letras

Dinheiro, eleições e poder

Bruno Carazza

R$ 82,90

Companhia das Letras

Sobre o autoritarismo brasileiro

Lilia Moritz Schwarcz

R$ 64,90

Companhia das Letras

O elogio do vira-lata e outros ensaios

Eduardo Giannetti

R$ 77,90

Companhia das Letras

Maquinação do mundo

José Miguel Wisnik

R$ 77,90

Companhia das Letras

Flores votos e balas

Angela Alonso

R$ 87,90

Ficha Técnica

Título original: Ser republicano no Brasil colônia Páginas: 376 Formato: 16.00 X 23.00 cm Peso: 0.585 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 15/06/2018
ISBN: 978-85-3593-099-3 Selo: Companhia das Letras Ilustração:

SOBRE O LIVRO

Heloisa Starling investiga o ideário republicano na Colônia em torno dos conceitos de igualdade, liberdade e cidadania, com foco na Inconfidência Mineira, na Conjuração Baiana e outros momentos críticos de efervescência política anteriores à Independência.

Este ensaio de história e ciência política resgata do esquecimento o percurso das ideias de república no Brasil Colônia e a trajetória formativa da incipiente cidadania antes da Independência. As conjurações de Minas Gerais, Rio de Janeiro e Bahia, entre outras, são reinterpretadas em contraste com a República instituída pelo golpe militar de 1889, cuja essência oligárquica e excludente tem reiterado como tragédia nacional a aguda constatação de nosso primeiro historiador, profeta dos eternos desmandos na condução da res publica nativa.
"Nenhum homem nesta terra é repúblico, nela zela, ou trata do bem comum, senão cada um do bem particular." Estranhamente atuais, as palavras certeiras de frei Vicente do Salvador em 1630 correspondem ao primeiro registro impresso da presença do conceito de república no Brasil.
Emanados em francês e inglês dos centros mundiais da subversão antimonárquica, os princípios republicanos abraçados pelos inconfidentes já tinham no final do século XVIII uma rica tradição no Brasil colonial. Heloisa Starling realiza uma impressionante arqueologia da recepção e das adaptações da palavra república em sua vida natural na Colônia, soterradas pelo triunfo do Império e, em seguida, do regime de 15 de novembro de 1889.

Sobre o autor