Home | Livros | Companhia das Letras | RETRATOS COM ERRO
CLIQUE PARA AMPLIAR
Ler um trecho

RETRATOS COM ERRO

Poemas

Eucanaã Ferraz

R$ 67,90

/ À vista

Apresentação

Um dos maiores poetas da atualidade, Eucanaã Ferraz percorre mundos concretos e imaginados, o dito e o não dito, segredos e fatos em seu novo livro.

Frequentemente comprados juntos

Companhia das Letras

Retratos com erro

Eucanaã Ferraz

R$ 67,90

Companhia das Letras

Sentimental

Eucanaã Ferraz

R$ 52,90

Companhia das Letras

Cinemateca

Eucanaã Ferraz

R$ 57,90

Preço total de

R$ 178,70

Adicionar ao carrinho

Você pode gostar também de

Alfaguara

Carta à rainha louca

Maria Valéria Rezende

R$ 62,90

Companhia das Letras

Do que é feita a maçã

Amós Oz Shira Hadad

R$ 49,90

Companhia das Letras

Antologia da literatura fantástica

Jorge Luis Borges Adolfo Bioy Casares Silvina Ocampo

R$ 102,90

Indisponível

Companhia das Letras

Coral e outros poemas

Sophia de Mello Breyner Andresen

R$ 72,90

Indisponível

Companhia das Letras

Para o meu coração num domingo

Wislawa Szymborska

R$ 82,90

Companhia das Letras

Escuta

Eucanaã Ferraz

R$ 52,90

Indisponível

Ficha Técnica

Título original: Retratos com erro Páginas: 120 Formato: 14.00 X 21.00 cm Peso: 0.179 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 18/04/2019
ISBN: 978-85-3593-189-1 Selo: Companhia das Letras Ilustração:

SOBRE O LIVRO

Um dos maiores poetas da atualidade, Eucanaã Ferraz percorre mundos concretos e imaginados, o dito e o não dito, segredos e fatos em seu novo livro.

Entre o concreto e o imaginado, entre os contos de fadas e as histórias de terror, Retratos com erro desenha muitos mundos que, feito espelhos distorcidos, se multiplicam e se deformam. Se por um lado Eucanaã Ferraz descreve com veemente lirismo o amor zeloso e o desejo tórrido, a beleza e a perfeição, por outro o horror, o medo, a loucura e um riso esgarçado convivem na mesma moldura.

E onde está o erro? "Não fui eu quem fez o mundo/ e sei que isso conta a meu favor", o poeta escreve. O retrato, aparentemente, nunca está completo. Dividido em partes, ou "dobras", o livro começa na segunda. Falta-lhe a primeira. Embora os três blocos claramente dialoguem em sua estrutura e organização, essa parte ausente, espécie de membro fantasma, deixa o desenho para sempre em suspenso, inacabado. Resta ao leitor decidir se os 22 poemas que compõem cada parte, articulados de modo horizontal, em constante diálogo, se confirmam ou se contradizem.

Entre o dito e o não dito, Retratos com erro traz à baila príncipes, rainhas, ladrões, poetas, assassinos, bêbados e mágicos, em meio a uma avalanche de confissões íntimas e as mais factuais notícias de jornal. Nesse turbilhão de personagens reais e inventados, descrições ora diretas ora mirabolantes, um verso do livro sintetiza o conjunto com absoluta limpidez: "só o silêncio que reluz é ouro".

Sobre o autor