Home | Livros | Companhia das Letras | VENTO EM SETEMBRO
CLIQUE PARA AMPLIAR

VENTO EM SETEMBRO

Tony Bellotto

R$ 94,90

/ À vista

Apresentação

Ao expandir a estrutura típica das tramas policiais - para dar conta de temas como o amor, o desejo e os traumas familiares -, Tony Bellotto nos leva àquele lugar onde os sonhos são feitos, para logo em seguida virarem pó.

Americanah (Edição comemorativa de 10 anos)

Companhia das Letras

Americanah (Edição comemorativa de 10 anos)

Chimamanda Ngozi Adichie

R$ 129,90

Da próxima vez, o fogo

Companhia das Letras

Da próxima vez, o fogo

James Baldwin

R$ 69,90

Caixa-preta: Escrevendo a raça

Companhia das Letras

Caixa-preta: Escrevendo a raça

Henry Louis Gates Jr.

R$ 84,90

Ritmo humanegrítico

Companhia das Letras

Ritmo humanegrítico

Cuti

R$ 89,90

O Ocidente

Zahar

O Ocidente

Naoíse Mac Sweeney

R$ 119,90

A geração ansiosa

Companhia das Letras

A geração ansiosa

Jonathan Haidt

R$ 74,90

Ficha Técnica

Título original: Hieroglifos Epidermicos Páginas: 296 Formato: 14.00 X 21.00 cm Peso: 0.366 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 10/07/2024
ISBN: 978-85-3593-777-0 Selo: Companhia das Letras Capa: André Hellmeister Ilustração:

SOBRE O LIVRO

Ao expandir a estrutura típica das tramas policiais - para dar conta de temas como o amor, o desejo e os traumas familiares -, Tony Bellotto nos leva àquele lugar onde os sonhos são feitos, para logo em seguida virarem pó.

Assis, interior de São Paulo, década de 1970. Em uma de suas muitas fazendas, o magnata rural Máximo Leonel organiza uma nababesca festa para celebrar a perda da virgindade de seu filho mais novo, Alexandre. Para a ocasião, contrata Laura, a prostituta mais deslumbrante da capital do estado. Mas a farra se transforma em pandemônio quando, chegado o grande momento, Alexandre desaparece sem deixar rastros, fazendo pairar sobre a família e a cidade uma atmosfera de puro mistério.
Centro histórico de Ouro Preto, dias de hoje. Uma série de pichações em prédios históricos gera revolta em todo o país. Após ver no telejornal as imagens da parede de uma igreja em que se lê a frase "Deus está morto" escrita com spray em letras góticas, o jornalista e escritor Davi não consegue se livrar da sensação de que aqueles crimes estão de algum modo relacionados ao livro que escreveu sobre a obra de Aleijadinho.
Assim, ele acaba se vendo no centro de uma trama complexa que começa há mais de cinquenta anos e se ramifica por diversas partes do mundo. Seminários, bordéis, vagões de trem e leitos de hospital são alguns dos cenários desta epopeia que nos conduz de Santos à Grécia, de Assis à Cidade do México, de paredes de igrejas ao coração da repressão durante a ditadura brasileira para desaguar em um final surpreendente.

Sobre o autor