Home | Livros | Alfaguara | CORPOS SECOS - VENCEDOR JABUTI 2021
CLIQUE PARA AMPLIAR
Ler um trecho

CORPOS SECOS - VENCEDOR JABUTI 2021

Um romance

Luisa Geisler, Marcelo Ferroni, Natalia Borges Polesso e Samir Machado de Machado

R$ 69,90

/ À vista

Apresentação

Uma doença fatal assola o Brasil e o transforma em uma terra pós-apocalíptica: sem governo, sem leis e sem esperanças. Os sobreviventes tentam cruzar o país em busca de um porto seguro. 
Vencedor do Prêmio Jabuti na categoria "Romance de Entretenimento".

Frequentemente comprados juntos

Alfaguara

Corpos secos - Vencedor Jabuti 2021

Luisa Geisler, Marcelo Ferroni, Natalia Borges Polesso e Samir Machado de Machado

R$ 69,90

Companhia das Letras

O avesso da pele - Vencedor Jabuti 2021

Jeferson Tenório

R$ 63,67

Companhia das Letras

Uma mulher no escuro -- vencedor Jabuti 2020

Raphael Montes

R$ 58,41

Preço total de

R$ 191,98

Adicionar ao carrinho

Você pode gostar também de

Companhia das Letras

O avesso da pele - Vencedor Jabuti 2021

Jeferson Tenório

R$ 63,67

Companhia das Letras

O que ela sussurra

Noemi Jaffe

R$ 59,42

Companhia das Letras

A extinção das abelhas

Natalia Borges Polesso

R$ 72,17

Alfaguara

Luzes de emergência se acenderão automaticamente

Luisa Geisler

R$ 74,90

Seguinte

Enfim, capivaras

Luisa Geisler

R$ 54,90

Alfaguara

Redemoinho em dia quente

Jarid Arraes

R$ 50,92

Alfaguara

De espaços abandonados

Luisa Geisler

R$ 89,90

Alfaguara

Marrom e Amarelo

Paulo Scott

R$ 64,90

Companhia das Letras

Uma mulher no escuro -- vencedor Jabuti 2020

Raphael Montes

R$ 58,41

Ficha Técnica

Páginas: 192 Formato: 15.00 X 23.40 cm Peso: 0.322 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 30/03/2020
ISBN: 978-85-5652-102-6 Selo: Alfaguara Ilustração:

SOBRE O LIVRO

Uma doença fatal assola o Brasil e o transforma em uma terra pós-apocalíptica: sem governo, sem leis e sem esperanças. Os sobreviventes tentam cruzar o país em busca de um porto seguro. 
Vencedor do Prêmio Jabuti na categoria "Romance de Entretenimento".

Primeiro, o uso de novos agrotóxicos sem os devidos testes. Depois, a reação inesperada com as larvas que eles deveriam dizimar. Não se sabe quem foi o primeiro infectado, apenas que o surto começou no Mato Grosso do Sul. São os chamados corpos secos: espectros humanos que não possuem mais atividade cerebral. Mas seus corpos ainda funcionam e anseiam por sangue.
Seis meses depois, há poucos sobreviventes. Um jovem aparentemente imune à doença está sendo estudado por uma equipe médica e precisa ser protegido a qualquer custo; uma dona de casa vive em uma fazenda no interior do Brasil e se encontra sozinha precisando reagir para sair de seu isolamento; uma criança vê a mãe tentar de tudo para salvar a família e fugir do contágio; uma engenheira de alimentos percebe que seus conhecimentos técnicos talvez não sejam suficientes para explicar o terror que assola o país. Juntos, eles vão narrar suas jornadas, em busca do último refúgio ao sul do país. Escrito em conjunto por quatro autores, Corpos secos não é só um thriller, nem um romance-catástrofe. É uma narrativa sobre os limites da maldade humana, e as chances de redenção em meio ao caos.