Home | Livros | Companhia das Letras | MÉTODO PRÁTICO DA GUERRILHA
CLIQUE PARA AMPLIAR
Ler um trecho

MÉTODO PRÁTICO DA GUERRILHA

Marcelo Ferroni

R$ 62,90

/ À vista

Apresentação

Combinando elementos de história e ficção, Marcelo Ferroni narra a malfadada aventura de um Che Guevara amargo, careca e barrigudo na Bolívia, a partir da liberação da transcrição do interrogatório de Paul Neumann, um ex-aluno de história da PUC-RS.

Frequentemente comprados juntos

Companhia das Letras

Método prático da guerrilha

Marcelo Ferroni

R$ 62,90

Pequena Zahar

Selvagem

Emily Hughes

R$ 57,90

Pequena Zahar

Este é o lobo

Alexandre Rampazo

R$ 59,90

Preço total de

R$ 180,70

Adicionar ao carrinho

Você pode gostar também de

Companhia das Letras

Das paredes meu amor os escravos nos contemplam

Marcelo Ferroni

R$ 62,90

Companhia das Letras

O fogo na floresta

Marcelo Ferroni

R$ 57,90

Companhia das Letras

Passageiro do fim do dia

Rubens Figueiredo

R$ 62,90

Indisponível

Companhia das Letras

Diário da queda

Michel Laub

R$ 54,90

Companhia das Letras

As aventuras da virtude

Newton Bignotto

R$ 77,90

Companhia das Letras

Vultos da República

Humberto Werneck

R$ 72,90

Companhia das Letras

Fotografia e império

Natalia Brizuela

R$ 87,90

Companhia das Letras

Freud (1930-1936) - Obras completas volume 18

Sigmund Freud

R$ 87,90

Companhia das Letras

Diário de Oaxaca

Oliver Sacks

R$ 54,90

Ficha Técnica

Título original: Método prático da guerrilha Páginas: 232 Formato: 14.00 X 21.00 cm Peso: 0.295 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 27/10/2010
ISBN: 978-85-3591-748-2 Selo: Companhia das Letras Ilustração:

SOBRE O LIVRO

Combinando elementos de história e ficção, Marcelo Ferroni narra a malfadada aventura de um Che Guevara amargo, careca e barrigudo na Bolívia, a partir da liberação da transcrição do interrogatório de Paul Neumann, um ex-aluno de história da PUC-RS.

Em maio de 2004, o Departamento de Estado dos EUA libera a transcrição do interrogatório de Paul Neumann, ex-aluno de história da PUC-RS, realizado em 1967, em um hospital militar na Bolívia, por dois renegados cubanos a serviço da CIA. Essa é sumariamente a moldura ficcional deste thriller de espionagem, centrado na figura de um Che Guevara amargo, careca e barrigudo.
Depois do fiasco no Congo, Che estava taciturno na Tanzânia, sonhando em levar a guerrilha à Argentina, onde os comunistas não se davam com Fidel. Mas o alvo, enfim, escolhido pelos revolucionários foi a Bolívia de Barrientos que, em 1966, nas palavras do autor, "era um estranho enxerto de nacionalismo e conservadorismo pró-americano importado do Brasil", e é para lá que se dirige a Operação Fantasma.
Valendo-se de paráfrases da história, através de diários e relatórios, Ferroni apresenta desde os bastidores da ação, na formação das redes urbanas do movimento da esquerda internacional, até as frentes de batalha em Ñancahuazú, recriando em detalhes os acontecimentos daquela trágica (e por vezes cômica) guerrilha.
Em Método prático da guerrilha, Ferroni põe à prova, com uma pesquisa minuciosa, os métodos preconizados pelo próprio Guerra de guerrilhas, de Che, e aponta, com algumas doses de ficção, as contradições da prática revolucionária.

Vídeo