Home | Livros | Companhia das Letras | VENTOS DO APOCALIPSE
CLIQUE PARA AMPLIAR

VENTOS DO APOCALIPSE

Paulina Chiziane

R$ 69,90

/ À vista

Apresentação

Violência, miséria, abandono. Esse é o pano de fundo do segundo romance de Paulina Chiziane, que retrata de forma dilacerante os terrores e traumas de uma guerra civil.

Frequentemente comprados juntos

Companhia das Letras

Ventos do Apocalipse

Paulina Chiziane

R$ 69,90

Penguin-Companhia

Memórias do subsolo

Fiódor Dostoiévski

R$ 49,90

Companhia das Letras

Murphy

Samuel Beckett

R$ 114,90

Preço total de

R$ 234,70

Adicionar ao carrinho

Você pode gostar também de

Companhia das Letras

Caminhando com os mortos

Micheliny Verunschk

R$ 58,41

Companhia das Letras

Balada de amor ao vento

Paulina Chiziane

R$ 64,90

Alfaguara

Primeira pessoa do singular

Haruki Murakami

R$ 69,90

Companhia das Letras

O último homem branco

Mohsin Hamid

R$ 69,90

Companhia das Letras

Niketche (Nova edição)

Paulina Chiziane

R$ 79,90

Alfaguara

A língua submersa

Manoel Herzog

R$ 67,92

Penguin-Companhia

Passeio ao farol

Virginia Woolf

R$ 54,90

Penguin-Companhia

Na Terra e no Céu

Francesco Petrarca

R$ 49,90

Ficha Técnica

Páginas: 272 Formato: 14.00 X 21.00 cm Peso: 0.338 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 07/06/2023
ISBN: 978-65-5921-522-5 Selo: Companhia das Letras Capa: Angelo Abu Ilustração:

SOBRE O LIVRO

Violência, miséria, abandono. Esse é o pano de fundo do segundo romance de Paulina Chiziane, que retrata de forma dilacerante os terrores e traumas de uma guerra civil.

"Quem escapa da fome não escapa da guerra; quem escapa da guerra é ameaçado pela fome. Os jovens arrumam a trouxa e partem. Os velhos, as mulheres e as crianças ficam."
Uma história de dois povos em fogo cruzado -- impotentes e perdidos, sem saber quem os defende e quem os ataca --, Ventos do Apocalipse nos leva a questionar quanto de ficção há no realismo das descrições brutais de um legado colonial.
Neste livro, Paulina Chiziane narra as 21 noites de pesadelo e de tormentos do êxodo dos sobreviventes de uma guerra sangrenta, vistos agora sob a ótica de uma nova e inadiável liberdade.


"Publicado pela primeira vez em 1999, pouco depois do fim da guerra civil, este romance de Paulina Chiziane narra o dentro da gente. Quem, de que lugar ou tempo, nunca sentiu o vento assobiar mais forte pelas veias adentro, como vertigem? Ou o vento soprar fresco enchendo o peito de esperança? Mesmo em tempos de paz vivemos apocalipses íntimos, assim como durante as guerras sopram bons ventos." -- Bianca Santana, no texto de orelha desta edição.

Sobre o autor