CLIQUE PARA AMPLIAR
Ler um trecho

R$ 99,90

/ À vista

Apresentação

Reunião dos últimos sete livros de poesia do autor, em edição bilíngue. Tradução de Josely Vianna Baptista.

Frequentemente comprados juntos

Companhia das Letras

Poesia

Jorge Luis Borges

R$ 99,90

Companhia das Letras

Poemas

Rainer Maria Rilke

R$ 49,90

Companhia das Letras

Poesias reunidas

Oswald de Andrade

R$ 77,90

Preço total de

R$ 227,70

Adicionar ao carrinho

Você pode gostar também de

Companhia das Letras

Poemas

Rainer Maria Rilke

R$ 49,90

Indisponível

Companhia das Letras

Primeira poesia

Jorge Luis Borges

R$ 62,90

Indisponível

Companhia das Letras

Poemas

W. H. Auden

R$ 62,90

Indisponível

Companhia das Letras

O livro dos seres imaginários

Jorge Luis Borges

R$ 62,90

Indisponível

Companhia das Letras

História da eternidade

Jorge Luis Borges

R$ 54,90

Ficha Técnica

Título original: Elogio de la sombra / el oro de los tigres ... Páginas: 648 Formato: 14.00 X 21.00 cm Peso: 0.781 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 13/02/2009
ISBN: 978-85-3591-372-9 Selo: Companhia das Letras Ilustração:

SOBRE O LIVRO

Reunião dos últimos sete livros de poesia do autor, em edição bilíngue. Tradução de Josely Vianna Baptista.

Um persistente equívoco pode levar o leitor de Borges a dar mais valor a seus contos e ensaios do que a seus poemas. Porém, no princípio, no meio e no fim de sua carreira, ele foi sobretudo poeta e assim se julgava. Durante os anos 1920, publicou três livros de versos cuja importância histórica e estética vai muito além da vanguarda ultraísta de que zombaria mais tarde.
A partir dos anos 1960, volta maduro à poesia, e escreve grandes poemas em que o pensamento se casa à emoção num sereno discurso rítmico, cuja complexidade se mantém com clareza, precisão e elegância clássicas. Nos sete últimos livros de poesia, escritos de 1969 até 1985, reunidos neste volume, uma sutil música de câmara confidencia os sentimentos mais íntimos na forma contida, límpida e exata das surpresas tranquilas.
O elogio da sombra que se parece à cegueira, o fascínio de ouro dos tigres, a luz inacessível da rosa profunda, a moeda de ferro feito um espelho mágico do eu e do mundo, o caos que é a cifra de uma secreta ordem, tudo são poemas conjurados como verdadeiros dons da escuridão, dos sonhos, das alvoradas. O poeta que sempre amou a filosofia e os labirintos da reflexão repassa o vivido e se prepara, com lucidez e calma, para a morte.

Sobre o autor